Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GILENE DE JESUS PEREIRA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GILENE DE JESUS PEREIRA
DATA: 22/12/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Departamento de Educação Física
TÍTULO: Efeito de diferentes intervalos de recuperação no exercício de força sobre variáveis de função cardiovascular.
PALAVRAS-CHAVES: Exercício de Força, Hipertensão arterial, Respostas Cardiovasculares
PÁGINAS: 28
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

A hipertensão arterial (HA) representa um dos principais fatores de risco para morbidade e mortalidade cardiovasculares, sendo o fator de risco mais importante para a cardiopatia isquêmica. O exercício de força (EF) tem sido sugerido como complemento aos programas de exercícios aeróbios para controle e prevenção de HA. Em um programa de EF, devem ser levados em consideração a escolha de resistência, seleção e ordem dos exercícios, número de séries e repetições, frequência e duração do período de descanso, variáveis que podem afetar significativamente as respostas cardiovasculares a uma sessão de EF. Assim, o objetivo desse estudo foi verificar o efeito de diferentes intervalos interséries (30s, 60s e 90s), no comportamento cardiovascular, do indivíduo hipertenso submetido ao EF. Dezenove mulheres (idade, 58,5±5,2 e IMC, 29,4±4,9), hipertensas, classificadas em controladas, descompensadas e não medicadas participaram do estudo. Os sujeitos foram submetidos a um teste de 1RM na cadeira extensora. Foram realizadas três sessões de exercício, com três séries de 12 repetições a 60% de 1RM e um intervalo interséries diferente (30, 60, 90 segundos). Foi utilizado ANOVA de 2 vias para medidas repetidas, com Post-hoc de Tukey, estabelecendo nível de significância de p<0,05. As respostas cardiovasculares foram semelhantes nas sessões com intervalos de 30, 60 e 90 segundos. O grupo de hipertensa não medicada teve maiores alterações de respostas cardiovasculares em todas as sessões de exercício, enquanto que, no grupo de hipertensa controlada, não houve alteração em nenhuma das variáveis nas sessões de exercício. Portanto, é possível afirmar que quando o quadro hipertensivo não está controlado a pressão arterial aumenta significativamente durante o exercício de força.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 276.084.415-34 - SILVAN SILVA DE ARAUJO
Externo à Instituição - MARCELO MENDONÇA MOTA
Externo à Instituição - THARCIANO LUIZ TEIXEIRA BRAGA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 17/12/2015 09:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata2.fragata2 v3.5.16 -r12762-01b8f192c5