Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LILLIAN BEATRIZ FONSECA DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LILLIAN BEATRIZ FONSECA DOS SANTOS
DATA: 08/01/2015
HORA: 14:00
LOCAL: Departamento de Educação Física - UFS
TÍTULO: IMERSÃO EM AGUA GELADA DIMINUI O DANO, DOR MUSCULAR TARDIA E MANTÉM A POTÊNCIA EM LUTADORES DE JIU-JITSU
PALAVRAS-CHAVES: artes marciais, crioterapia, creatina quinase, L-lactato desidrogenase, força muscular.
PÁGINAS: 36
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Educação Física
RESUMO:

Introdução. Apesar de amplamente utilizada no meio esportivo, é questionável a eficiência da Crioterapia na redução do dano muscular e melhora do desempenho. Objetivo. Investigar os efeitos da crioterapia (imersão em agua gelada) pós-treino de jiu-jítsu quanto ao dano muscular, percepção de dor e recuperação e potência muscular de membros superiores e inferiores. Métodos. Para tal, mediu-se as seguintes variáveis: níveis séricos das enzimas creatinafosfoquinase (CPK), desidrogenase lática (LDH), aspartato aminotransferase (AST) e alanina aminotransferase (ALT); percepção de dor e recuperação por meio de escalas visuais analógicas; e a potência muscular de membros superiores (flexão de cotovelos na barra) e inferiores (Countermovement Jump). Inicialmente, 12 atletas treinados foram submetidos a duas sessões de treino com duração de 120 min cada, destes 8 completaram todas as fases do estudo. Após o primeiro treino, metade da amostra foi aleatoriamente escolhida para recuperação utilizando a imersão em agua gelada (6,0±0,5oC) com duração de 19 min (4 x 4 min; com 1 min de intervalo), os demais serão alocados na situação controle (recuperação passiva), os tratamentos foram invertidos na segunda sessão. Como procedimento estatístico utilizou-se a Analise de variância a dois fatores (Recuperação X Tempo). Resultados. As analises inferenciais indicaram que lutadores submetidos à Crioterapia apresentaram menor curso recuperativo pós treino, onde os níveis circulantes de enzimas que estimam o dano muscular CPK (381,8±110,8 vs. 465,6±117,8 UI/L; P<0,05), LDH (441,9±81,4 vs. 493,6±97,4 UI/L; P<0,05) e AST (24,5±3,9 vs. 30,3±6,4 UI/L; P<0,05) apresentaram-se significativamente menos concentrado no soro 24 horas pós treino na situação Crioterapia, não houve diferença (P>,05) para a enzima ALT. Imediatamente pós-recuperação, os lutadores submetidos a crioterapia apresentaram significativamente (P<0,05) menor expressão de potência muscular em membros superiores (599,3±84,0 vs. 768,4±97,0 W) e inferiores (44,1±8,1 vs. 52,5±4,6 cm), porém, 24 horas pós-treino, a estimativa da potência muscular foi significativamente (P<0,05) maior na situação Crioterapia tanto para membros superiores (757,9±125,1 vs. 695,9±56,1 W), quanto inferiores (53,7±3,7 vs. 35,5±8,2 cm). Em linha com estes resultados, 24 horas pós-treino, os lutadores; quando submetidos a crioterapia indicaram menor percepção de dor muscular (1,5±1,1 vs. 3,1±1,0) e de recuperação (8,8±1,9 vs. 6,9±1,7), não havendo diferença entre a percepção subjetiva de esforço ao longo do treino (P<0,05). A temperatura corporal apresentou-se mais baixa pós-recuperação na situação Crioterapia (35,3 vs 37,1 oC; P<0,05). Conclusão. A imersão em agua gelada pode ser benéfica a atletas de jiu-jitsu uma vez que diminui o dano muscular, percepção de dor tardia e recuperação da potência muscular 24 horas pós-treino.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2297369 - ROBERTO JERONIMO DOS SANTOS SILVA
Interno - 2019019 - MARZO EDIR DA SILVA
Interno - 1228110 - WALDERI MONTEIRO DA SILVA JUNIOR
Notícia cadastrada em: 26/11/2014 11:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12646-2c874e3307