A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: DANILLO MENEZES DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANILLO MENEZES DOS SANTOS
DATA: 30/10/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 7 do Departamento de Medicina- Hospital Universitário
TÍTULO:

Comparação da Função de Macrófagos de Pacientes com as Formas Tuberculóide e Virchowiana de Hanseníase após a Cura Clínica


PALAVRAS-CHAVES:

Hanseníase; Macrófagos; Resposta imune; Testosterona.


PÁGINAS: 58
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Imunologia
SUBÁREA: Imunologia Celular
RESUMO:

A Hanseníase é causada pelo Mycobacterium leprae, bacilo álccol-ácido resistente (BAAR), transmitido por via aérea. A Hanseníase continua sendo um relevante problema de saúde pública no Brasil, um dos países relacionados pela OMS como áreas endêmicas no mundo. A elevada densidade demográfica e o baixo padrão sanitário da população facilitam a difusão do M. leprae. A resposta imune pode ser dividida em inata, associada à resistência para o desenvolvimento da Hanseníase, e adaptativa, que vai atuar no reconhecimento específico de antígenos e que pode ser categorizada em celular e humoral. O predomínio de resposta imune celular ou humoral, frente à infecção pelo bacilo, pode influenciar a evolução da doença e estar associado às formas clínicas Tuberculóide (HT), (controle do crescimento do M. leprae e forma paucibacilar) e Virchowiana (HV), (forma multibacilar). A resposta imune inata é importante na definição do tipo de resposta adaptativa desencadeada, pois os macrófagos, além de fagocitar as micobactérias, são também células apresentadoras de antígenos. Assim, o comportamento dessas células (sinais co-estimulatórios e quimiocinas e citocinas), nos eventos iniciais da infecção, podem ser definidores do tipo de resposta imune adaptativa desencadeada. Estudos genéticos descreveram genes associados resistência de macrófagos a agentes intracelulares, sugerindo que pode haver uma alteração nos macrófagos de pacientes associadas à susceptibilidade a estas doenças. O presente trabalho tem como objetivo comparar a função dos macrófagos de pacientes com passado de Hanseníase com as formas clínicas HT e HV. Será avaliada a capacidade fagocítica e microbicida, a capacidade de ativação dessas células por LPS e IFN-, e o possível efeito supressivo da testosterona, utilizando o modelo da infecção por Leishmania amazonensis. Nossa hipótese é que os macrófagos de pacientes com a forma Virchowiana apresentam redução da capacidade microbicida, de ser ativados por citocinas e de produzir citocinas e quimiocinas. Pacientes foram selecionados de um banco de dados do Hospital Universitário, e comparados às formas Tuberculóide, Virchowiana e Controle. Foram isolados macrófagos do sangue dos indivíduos dos grupos acima e colocados em placas de cultura de células sem estímulo ou estimulados com LPS + IFN- e tratados com Testosterona, e posteriormente infectados com L. amazonensis em fase estacionária (3:1). contagem cega do número de macrófagos em diferentes nos tempos de 2, 24, 72 e 96 horas (h) Os macrófagos dos pacientes com passado de Hanseníase Virchowiana, são mais infectados e não conseguem controlar a infecção causada pelo protozoário L. amazonensis, quando comparados com o grupo controle. Na presença do tratamento com a testosterona, observa-se que a infecção tende a aumentar com o decorrer do tempo. Concluindo, há um defeito na capacidade microbicida de macrófagos de pacientes com a forma Virchowiana que pode justificar a dificuldade desses macrófagos em controlar a infecção.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 285930 - AMELIA MARIA RIBEIRO DE JESUS
Externo ao Programa - 2869587 - PATRICIA RODRIGUES MARQUES DE SOUZA
Interno - 1511959 - TATIANA RODRIGUES DE MOURA

Notícia cadastrada em: 18/10/2012 16:05
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a