A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: PATRICIA PEREIRA DA SILVA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PATRICIA PEREIRA DA SILVA
DATA: 31/07/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Didática VI, sala 12/ UFS, Campos de São Cristóvão
TÍTULO:

MIELORRADICULOPATIA ESQUISTOSSOMÓTICA: ESTIMATIVA DE PREVALÊNCIA ATRAVÉS DO MÉTODO DE CAPTURA-RECAPTURA PARA A POPULAÇÃO ESQUISTOSSOMÓTICA DO ESTADO DE SERGIPE.


PALAVRAS-CHAVES:

Mielorradiculopatia Esquistossomótica, Neuroesquistossomose, Esquistossomose, Captura e Recaptura.


PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
RESUMO:

A Mielorradiculopatia Esquistossomótica (MRE) é uma forma grave de evolução severa e incapacitante da esquistossomose, sendo uma das mais frequentes causas entre as mielopatias não-traumáticas. No envolvimento do SNC pelo S. mansoni, a lesão medular parece ser a mais comum, comprometendo principalmente porções mais inferiores da medula espinhal, possivelmente devido ao fato do plexo venoso de Batson drenar apenas as regiões baixas da medula. Este estudo teve como objetivo estimar a prevalência e conhecer a subnotificação de MRE na população esquistossomótica do Estado de Sergipe e descrever as características clínicas e epidemiológicas dos portadores dessa forma clínica entre os anos de 2007 a 2011, através do método de captura e recaptura utilizando dados do SINAN e dos prontuários de dois hospitais de referência e de três centros de fisioterapia onde os pacientes foram notificados e diagnosticados entre os anos 2007 a 2011. As fontes de dados foram organizadas em três e duas listas onde os casos foram sobrepostos para verificação de casos comuns entre as fontes. Para análise foram utilizados os modelos log-linear utilizando o software R® e a fórmula de Chapman para estimativa dos casos de MRE e em seguida para o cálculo de prevalência e subnotificação considerando a população esquistossomótica de Sergipe. Através dos registros em prontuários foram identificados e categorizados alguns aspectos clínico-epidemiológicos e laboratoriais dos casos de MRE. Foram identificados 34 casos onde 64,70% dos pacientes eram do gênero masculino com idade média de 31,58 anos. Apenas 9,3% dos casos encontrados nas instituições de saúde foram recapturados na Fonte SINAN. Foram estimados 49 casos de MRE no estado de Sergipe utilizando o estimador de Chapman e uma prevalência de 4% sob a população esquistossomótica de Sergipe. A subnotificação dos casos reais foi de 84,37%, considerada bastante elevada, o que requer uma maior atenção e envolvimento dos gestores e da equipe de saúde quanto à necessidade do diagnóstico e tratamento adequados para o paciente com MRE bem como à importância da notificação nos sistemas de informação para real conhecimento da situação de saúde. Muitos registros nos prontuários encontravam-se incompletos para o traçado de um perfil clínico-epidemiológico. O método de captura e recaptura mostrou-se uma metodologia eficiente e de baixo custo para a estimativa de prevalência de doenças negligenciadas como é o caso da MRE. 


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CONSTANÇA CLARA GAYOSO SIMÕES BARBOSA
Presidente - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Interno - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL

Notícia cadastrada em: 23/07/2012 16:54
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18277-8067e35817