A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VANESSA RAMOS DE FARIA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA RAMOS DE FARIA
DATA: 25/07/2012
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 10 da Didática VI
TÍTULO:

"Investigação de arboviroses emergentes em área endêmica de dengue"


PALAVRAS-CHAVES:

Arbovírus, dengue e NS1.


PÁGINAS: 30
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Helmintologia de Parasitos
ESPECIALIDADE: Helmintologia Humana
RESUMO:

O Brasil é um país tropical de grande extensão territorial e possui mais de um terço de seu território é recoberto por florestas ou outros ecossistemas naturais ideais para a ocorrência de diversas arboviroses. Nesse território circulam aproximadamente 210 diferentes tipos de arbivírus, pertencendo, principalmente, aos gêneros Flavivirus (Flaviviridae), Alphavirus (Togaviridae) e Orthobunyavirus (Buniavirus) que causam a mesma sintomatologia clínica, especialmente na fase aguda da infecção.  Esses vírus estão associados com surtos em seres humanos e representam um sério problema de saúde pública, com impactos econômico e social. Este estudo tem como objetivo Identificar arboviroses emergentes em amostras clínicas de soro ou sangue de pacientes com doença febril aguda em área endêmica de dengue, negativos na virologia com teste Platelia™ dengue  NS1 Ag utilizado no Protocolo NS1 do Ministério da Saúde. Será utilizada a técnica de RT-Semi-Nested-PCR de Lanciotti (1992) para detecção e identificação dos vírus da Dengue (1, 2, 3 e 4), RT-PCR em tempo real para investigar a possível circulação de Chikunginya e RT-PCR convencional para as demais arboviroses (Encefalite Saint Louis, Febre do Nilo Ocidental, Mayaro e Oropouche). Todas as técnicas serão desenvolvidas de acordo com protocolos diagnósticos do Ministério da Saúde no laboratório de Arboviroses e Febres Hemorrágicas do Instituto Evandro Chagas em Ananindeua-PA.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426722 - ANGELA MARIA DA SILVA
Externo ao Programa - 1897681 - LUCIANE MORENO ALONSO STORTI
Interno - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL
Presidente - 1516901 - ROSELI LA CORTE DOS SANTOS

Notícia cadastrada em: 16/07/2012 12:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a