A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANNA CAMILA SANTOS RABELO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANNA CAMILA SANTOS RABELO
DATA: 29/11/2021
HORA: 11:00
LOCAL: Defesa remota
TÍTULO: Prevalência de infecções parasitárias intestinais entre crianças da cidade de Paripiranga-BA
PALAVRAS-CHAVES: Helmintos, Parasitoses, Protozoários.
PÁGINAS: 52
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO:

As parasitoses intestinais causadas por protozoários e helmintos são doenças com distribuição mundial, com altas prevalências tanto em países subdesenvolvidos quanto desenvolvidos, sendo considerada um dos principais problemas de saúde pública, afetando principalmente as crianças. Estão associadas diretamente a hábitos de higiene-alimentares, fatores socioeconômicos, socioambientais, políticos e culturais e o ambiente onde o indivíduo frequenta tem participação importante na sua ocorrência. Neste contexto, o objetivo desse estudo foi fazer uma análise da prevalência dos parasitos intestinais em crianças da cidade de Paripiranga, Nordeste do Brasil, e a influência do ambiente na exposição para tais infecções. A população da pesquisa foi constituída por crianças com faixa etária de até 6 anos residentes na zona urbana e rural. A amostra constituída por 200 crianças, distribuídas por idade, local de moradia e frequência de convivência a esses ambientes. A participação na pesquisa esteve condicionada a assinatura do Termo de Consentimento Livre Esclarecido (TCLE). O cálculo amostral para o cálculo deste n foi realizado de acordo com Miot, com margem de erro aceitável de 5%, índice de confiabilidade de 95%, com base em uma prevalência estimada de 19%. Para a verificação da prevalência dos parasitos solicitou três amostras de material fecal, de dias alternados, para a realização da análise parasitológica de fezes por meio do método de Hoffman. Os fatores avaliados foram os fatores socioeconômicos e ambientais associados à prevalência dos helmintos e protozoários, coletados através da aplicação do questionário adaptado. A análise da associação da prevalência com os hábitos de higiene-alimentares, condições sanitárias e socioeconômicas, foi feita através de testes de hipóteses para medir a associação entre a prevalência de infecção e os fatores de risco, utilizando análises pelo Qui-quadrado. Das 200 amostras coletadas 58% foram positivas. A prevalência encontrada foi de (45,5%) para Blastocystishominis, (20,2 %) Endolimax nana, (14,3%) Entamoeba histolytica, (11,9%) Entamoeba coli, (3,7%) Giardia lamblia, (1,4%) Strongyloides stercoralis, (0,9%) Trichuris trichiura, (0,9%) Enterobius vermicularis, (0,4%) Iodamoeba butschilii, (0,4%) Ascaris lumbricoides e (0,4%) Ancilostomídeos. Com esses resultados foi observado alta prevalência de espécies não patogênicas ou que ainda encontram-se em discussão sobre a sua patogenia, sobre essa questão é importante lembrar que as espécies não patogênicas apresentam mecanismos de transmissão de outros protozoários patogênicos, servindo como indicador das condições que as famílias encontram-se.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Presidente - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL
Externo ao Programa - 2347574 - SARAH CRISTINA FONTES VIEIRA

Notícia cadastrada em: 11/11/2021 18:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a