A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ROSÁLIA ELEN SANTOS RAMOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROSÁLIA ELEN SANTOS RAMOS
DATA: 24/02/2021
HORA: 14:00
LOCAL: Defesa Remota
TÍTULO: Identificação da Infecção por Schistosoma mansoni e Enteroparasitos em Uma Área Não Endêmica para a Esquistossomose em Alagoas: Associação com Fatores de Risco e Análise Espacial
PALAVRAS-CHAVES: Esquistossomose mansoni; Infecções por Helmintos; Infecções por Protozoários; Epidemiologia
PÁGINAS: 89
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO:

A esquistossomose mansoni e as enteroparasitoses são doenças amplamente distribuídas e consideradas grande problema de saúde pública no mundo. No estado de Alagoas, as duas regiões não endêmicas para esquistossomose mansoni não tem atuação do Programa de Controle da Esquistossomose (PCE) para o diagnóstico do S. mansoni e também dos parasitos intestinais. Este trabalho teve como objetivo avaliar a ocorrência e a distribuição espacial de casos de S. mansoni e enteroparasitoses, e a associação com fatores de risco, no município de Santana do Ipanema, sertão de Alagoas. A área de estudo compreende o município de Santana do Ipanema, Alagoas, cujo os participantes residiam na zona urbana da cidade. Foram solicitadas quatro amostras de material fecal para realização da análise parasitológica de fezes através dos métodos de Kato-Katz e Rugai. Todos os participantes da pesquisa foram convidados a responder um questionário investigativo para coleta de informações sobre fatores sociais, econômicos e comportamentais associados à transmissão da esquistossomose e/ou enteroparasitoses. Foram coletadas amostras de fezes de 227, sendo observada uma taxa de positividade de 2,2% (n = 5) para o S. mansoni, 15,8% (n = 36) para os helmintos e 27,3% (n = 62) para os protozoários intestinais. Na análise dos fatores associados, a regressão logística foi significativamente associada a indivíduos que não eram naturais de Santana do Ipanema nas infecções pelo S. mansoni. Estado civil e grau de contato com águas foram associados significativamente a infecção por helmintos intestinais. E, grau de contato também demonstrou associação significativa a infecção por protozoários. A análise espacial demonstrou cluster de casos (hotspots) de infecção pelo S. mansoni em um ponto da zona urbana de Santana do Ipanema e um cluster de casos de infecções por helmintos e protozoários intestinais em uma mesma região, correspondente a zona periférica da cidade. Em conjunto, os dados do presente trabalho demonstram a relevância da vigilância em áreas que não são endêmicas para a esquistossomose, uma vez que a identificação dos indivíduos portadores da doença contribui com o controle da parasitose e certamente impede que a área se torne um foco de transmissão. Além disso, reforçam a importância implementação de políticas públicas eficazes para o controle das parasitoses e de uma educação em saúde voltada as necessidades da população.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1888521 - JOSE RODRIGO SANTOS SILVA
Interno - 2046888 - MÁRCIO BEZERRA SANTOS
Externo à Instituição - ISRAEL GOMES DE AMORIM SANTOS

Notícia cadastrada em: 02/02/2021 11:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r18277-8067e35817