A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: MIKAEL FERREIRA COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MIKAEL FERREIRA COSTA
DATA: 27/05/2020
HORA: 10:00
LOCAL: Defesa remota
TÍTULO: Utilização do POC-CCA como diagnóstico e controle de cura na infecção por Schistosoma mansoni em escolares em área de moderada endemicidade no Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Teste rápido de urina; POC-CCA; point-of-care; Controle de cura; Diagnóstico.
PÁGINAS: 63
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO:

O Schistosoma mansoni é o parasito causador da esquistossomose, doença tropical negligenciada com grande impacto sobre morbidade e mortalidade em países subdesenvolvidos. O método de diagnóstico Kato-Katz é considerado padrão ouro, entretanto possui baixa sensibilidade. Dessa forma, com o intuito de melhorar o diagnóstico da doença, o teste rápido Point-of-care (POC) que identifica antígenos catódicos circulantes (CCA) tem sido utilizado como uma nova forma de identificar a doença. Objetivo: Avaliar a prevalência da esquistossomose em escolares tendo o POC-CCA como método de diagnóstico e de rastreio no controle de cura em escolares submetidos ao tratamento antiparasitário. Metodologia: Estudo epidemiológico longitudinal, realizado com indivíduos em idade escolar (6-22 anos), no município de Malhador/Sergipe em 5 comunidades endêmicas para esquistossomose. Os escolares foram diagnosticados utilizando o teste de urina POC-CCA, e após a identificação dos positivos foi realizado o tratamento com 60mg/Kg de Praziquantel. Após 30 dias do tratamento foi realizada a coleta das amostras de urina dos indivíduos tratados para a avaliação de cura. Resultados: Foram coletadas amostras de 555 escolares sendo 52% do sexo masculino e 48% do sexo feminino. Considerando o traço como resultado negativo, 112 (20,2%) indivíduos tiveram diagnóstico positivo. Entretanto, se considerado o traço como positivo, o número de infectados aumenta para 186 (33,5%) casos positivos. Todos os indivíduos (186) com banda positiva no diagnóstico foram tratados e 30 dias após o tratamento, apenas, 33 (20,4%) indivíduos continuaram positivos no exame pelo teste rápido. Um ano após o primeiro tratamento foram rastreados 129 escolares, dentre os quais 43 (33,3%) estavam negativos. CONCLUSÃO: O teste POC-CCA demonstrou alta sensibilidade para o diagnóstico de infecção por S. mansoni, e mostra ser um bom método para o controle de cura dos casos positivos para a doença.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Externo ao Programa - 681.554.926-72 - LUCIANA MARIA DE OLIVEIRA
Presidente - 171.267.248-70 - RICARDO TOSHIO FUJIWARA

Notícia cadastrada em: 15/05/2020 14:17
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a