A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: REBECA PINTO FIGUEIRÊDO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: REBECA PINTO FIGUEIRÊDO
DATA: 29/08/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Mini-auditório CCBS
TÍTULO: Diversidade genética de Papilomavírus bovino no Estado de Sergipe
PALAVRAS-CHAVES: papilomavírus bovino, diversidade genética, variante, Sergipe, Nordeste.
PÁGINAS: 24
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Genética
RESUMO:

O papillomavirus bovino (BPV) é um grupo de vírus potencialmente oncogênico que afeta principalmente indivíduos da espécie Bos taurus, oferecendo riscos aos produtores de gado. Diferente do que é observado em outros tipos dessa família, foi demonstrado que o BPV não é espécie-específico e foi encontrado em animais como girafas, búfalos e equinos, por exemplo. Sabe-se que hoje existem 27 tipos de BPV e cada tipo pode estar relacionado ao desenvolvimento de diferentes doenças. Em contrapartida, foi verificado que variantes de papilomavírus humanos (HPV) podem apresentar diferentes apresentações patológicas das observadas nas cepas não variantes. Por causa da similaridade na estrutura e biologia desses grupos, acredita-se que seja possível que variantes de BPV possam também apresentar essa mudança no padrão patogênico. Sabendo-se da relevância da infecção pelo papilomavírus na produção de gado e da necessidade do conhecimento dos tipos presentes no estado, o objetivo desse estudo foi avaliar a variabilidade genética de papilomavírus bovino no estado de Sergipe. As amostras foram coletadas em fazendas de três municípios do estado, com animais que apresentassem lesões com aspectos visualmente papilomatosos. Todas as mostras passaram pelos processos de extração de DNA, PCR e eletroforese em gel. Das amostras purificadas e sequenciadas, foram feitas análises computacionais que confirmaram o tipo de BPV encontrado e expuseram mutações com pouco ou nenhum relato. Os dados obtidos até o momento comprovam a diversidade de vírus existente no estado, assim como a presença de variantes com mutações que podem gerar alterações no quadro infeccioso daquele tipo viral.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2026761 - MARCUS VINICIUS DE ARAGAO BATISTA
Interno - 1897681 - LUCIANE MORENO STORTI DE MELO
Externo ao Programa - 2229398 - ANA PAULA DEL VESCO

Notícia cadastrada em: 05/08/2019 09:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a