A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MIKAEL FERREIRA COSTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MIKAEL FERREIRA COSTA
DATA: 22/08/2019
HORA: 09:30
LOCAL: Sala de videoconferencia do PROEE/UFS.
TÍTULO: Utilização do POC-CCA como diagnóstico e controle de cura na infecção por Schistosoma mansoni em escolares em área de moderada endemicidade no Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Schistosoma mansoni; POC-CCA; Controle de cura; Diagnóstico
PÁGINAS: 54
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO:

O Schistosoma mansoni é o parasito causador da esquistossomose, uma doença tropical negligenciada e com grande impacto de morbidade e mortalidade em países subdesenvolvidos. A Organização Mundial da Saúde, articulou diretrizes que visam a eliminação e controle da esquistossomose, requerido avaliações pré-tratamento para verificar a prevalência da infecção para definir a frequência de tratamento da área endêmica, foi estabelecido metas para o controle da esquistossomose até o ano de 2020, no Brasil. Desde o início do programa da eliminação e controle, onde se é tratado a população de idade escolar com Praziquantel, foi observado a diminuição da carga parasitária da população em área de alta endemicidade, porém, e com essa diminuição vem surgindo problemáticas em relação ao método diagnóstico, onde o Kato-Katz, método considerado padrão ouro, diminui sua sensibilidade como método diagnostico para controle de cura, com isso o POC-CCA surgiu com o intuito de melhorar a identificação dos casos positivos, onde se mostra em vários estudos como um promissor método para o diagnóstico da infecção, com boa sensibilidade e especificidade e agora sendo abordado como um possível método para controle de cura dos casos positivos. Objetivo: Avaliar a prevalência da esquistossomose em escolares tendo o POC-CCA como método de diagnóstico e analisar a eficácia deste teste rápido como controle de cura em escolares submetidos ao tratamento antiparasitário. Metodologia: Estudo epidemiológico do tipo longitudinal, realizado com indivíduos de idade escolar (6-22 anos), no município de Malhador/Sergipe. Foram selecionadas seis escolas de 5 comunidades diferentes que haviam casos prévios de esquistossomose na região. Os escolares foram diagnosticadas utilizando o teste de urina POC-CCA, após a identificação dos positivos foi realizado o tratamento com 60mg/Kg de Praziquantel. Após 30 dias do tratamento foi realizado a coleta das amostras de urina dos tratados para a realização do diagnóstico de cura, os indivíduos que permaneceram positivos foram submetidos a um novo tratamento e coleta. Resultados: A amostra foi composta por 555 escolares tendo entre 06 e 22 anos (p <0,001), em relação ao sexo, 280 são do sexo masculino e 274 do sexo feminino (p 0,814). Os resultados do diagnóstico depende do julgamento de duas hipóteses, a primeira onde se considera o traço como um caso negativo, ou a segunda hipótese onde se considera o traço como positivo, no primeiro caso, o município apresentou 112 (20,2%) dos casos positivos, porém, quando considerado o segundo caso é observado que o percentual ascendeu para 186 (33,5%) casos positivos (p-valor <0,001). Para fins de tratamento foi incluído os caso traço como positivo. Após o tratamento houveram a desistência de alguns indivíduos, permanecendo 162 escolares dos 186 casos considerados positivos, dessa amostra foi verificado que se considerando traço como negativo 9 (5,6%) indivíduos permaneceram positivos para o diagnóstico. Por outro lado, se o traço for considerado como positivo, há um aumento na população para 33 (20,4%) casos positivos (p-valor <0,001).


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2030768 - ALLAN DANTAS DOS SANTOS
Presidente - 171.267.248-70 - RICARDO TOSHIO FUJIWARA
Interno - 1703964 - SILVIO SANTANA DOLABELLA

Notícia cadastrada em: 24/07/2019 10:16
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a