A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ANTONIELE DOS SANTOS PIMENTEL

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTONIELE DOS SANTOS PIMENTEL
DATA: 18/07/2019
HORA: 14:00
LOCAL: Mini-auditório CCBS/UFS
TÍTULO: Avaliação da resposta de monooxigenases à exposição ao repelente DEET em população de Aedes aegypti resistentes a inseticidas
PALAVRAS-CHAVES: Controle vetorial, arboviroses, repelentes, enzimas P450, monoxigenases, DEET, inseticidas
PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Entomologia e Malacologia de Parasitos e Vetores
RESUMO:

No Brasil, medidas de controle vetorial são utilizadas há décadas, principalmente através do uso de inseticidas. Alternativas convencionais de proteção individual são utilizadas como formas coadjuvantes, entre elas o uso de repelentes, como o DEET (N, N-dietil-meta-toluamida). O presente estudo teve como objetivo quantificar a variação de mooxigenases (P450) numa população resistente a inseticidas. Foram realizados bioensaios com temephós, deltametrina e pyriproxyfen em A. aegypti do município de Laranjeiras. Todos os ensaios foram pareados com a linhagem de referência para suscetibilidade a inseticidas. Os mosquitos foram expostos a DEET, seguido de intervalo pós-exposição de 0h, 6h, 12h e 24h. A população de campo apresentou resistência moderada ao temephós, suscetibilidade a ser confirmada ao deltametrina, e suscetibilidade ao pyrirpoxyfen. A quantidade basal de enzimas do P450 foi maior na população de campo. Houve variação da quantidade de P450 ao longo do tempo, com pico no intervalo de 12h, retomando a valores iniciais em 24h, entretanto não houve diferença entre os grupos expostos e não expostos ao DEET. Este estudo relevou que a população de campo apresenta perfil de resistência a inseticidas, quantidade alterada de P450 que responde mais rapidamente ao longo de 24h quando exposta ao DEET.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1516901 - ROSELI LA CORTE DOS SANTOS
Externo ao Programa - 2208516 - ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES
Externo à Instituição - ADEMIR DE JESUS MARTINS JUNIOR

Notícia cadastrada em: 27/06/2019 08:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18277-8067e35817