A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANDRÉA L'AMOUR FEDERICO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDRÉA L'AMOUR FEDERICO
DATA: 28/08/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de videoconferencia do PROEE/UFS.
TÍTULO: Prevalência e variação da contagem de ovos em crianças infectadas com Schistosoma mansoni diagnosticadas através do Kato-Katz em áreas de baixa e moderada endemicidade no Brasil
PALAVRAS-CHAVES: Esquistossomose, Schistosoma mansoni, Kato-Katz, endemicidade
PÁGINAS: 25
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Helmintologia de Parasitos
RESUMO:

Introdução: A esquistossomose, causada pelo trematoda do gênero Schistosoma, é uma doença tropical negligenciada. O Brasil, onde ela é causada pelo Schistosoma mansoni, possui a maior área endêmica nas Américas, e estima-se que 42,9 milhões de pessoas vivam em áreas com risco de infecção e 6,8 milhões estejam infectadas. As crianças em idade escolar têm maior probabilidade e intensidade da infecção. Objetivo: Avaliar a prevalência de esquistossomose mansônica, em áreas de baixa e moderada endemicidade, nos municípios de Malhador e Januária, dos estados de Sergipe e Minas Gerais, respectivamente, através do Kato-katz. Metodologia: Durante 3 dias consecutivos, 1 amostra/dia de fezes, de crianças de 6 a 16 anos, foi coletada para realização do diagnóstico, através do Kato-Katz, em 542 crianças no município de Malhador, Sergipe, e 568 crianças em Januária, Minas Gerais. Para cada amostra, foram feitas 2 lâminas. Para encontrar diferenças estatísticas entre estados, comunidades e faixas etárias, foi utilizado o modelo linear geral com distribuição de Poisson, devido ao estudo de um determinado número de ocorrências em uma unidade de tempo. Foi considerada significância estatística de 95%. Resultados: Foi encontrado 24,35% (n=132) casos positivos para a doença no município de Malhador e 5,28% (n=30) em Januária. No estado de Sergipe, a comunidade com maior intensidade de infecção (IF) (p>0,05) foi Tabua, com 41,53% (n=299), em Minas Gerais, foi a comunidade de São Joaquim, com 8,54% (n=63). Não houve efeito do dia (p<0,05) e da lâmina na avaliação. A faixa etária influenciou (p>0,05) sobre o número de ovos/grama de fezes (OPG) e na prevalência da doença, em Sergipe, em que crianças de 11 a 15 anos de idade demonstraram maior OPG (60,13). Em Minas Gerais, crianças de 11 a 15 anos, demonstraram maior OPG (11,37) (p<0,05) em comparação as outras faixas etárias; de igual forma não foram foi encontrada diferença (p>0,05) para prevalência. Foram encontradas co-infecções parasitárias. Em Sergipe para Ascaris lumbricoides (0,14%) e Trichuris trichiura (1,9%). Em Minas Gerais, para E. coli (0,58%). Para Enterobius vermicularis (1,41%) em ambos estados. Com isso, pode-se observar que houve uma maior endemicidade no estado de Sergipe e uma variação na distribuição do número de ovos em diferentes amostras.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Externo à Instituição - MARIANA SANTOS CARDOSO
Presidente - 171.267.248-70 - RICARDO TOSHIO FUJIWARA

Notícia cadastrada em: 10/08/2018 13:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18277-8067e35817