A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA CAROLINE RODRIGUES LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA CAROLINE RODRIGUES LIMA
DATA: 29/08/2017
HORA: 08:30
LOCAL: Mini-auditório do CCBS
TÍTULO: Caracterização ecoepidemiológica dos criadouros e focos de Biomphalaria no município de Barra dos Coqueiros, Sergipe
PALAVRAS-CHAVES: Schistosoma mansoni. Malacologia. Esquistossomose
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO:

A esquistossomose é uma doença infecto-parasitária cujo agente patogênico é o Schistossoma mansoni sendo transmitido ao homem por caramujos dulcícolas do gênero Biomphalaria. O Brasil tem destaque por apresentar grande extensão do seu território endêmico para a esquistossomose, sendo considerada um problema de saúde pública nacional. Sergipe ocupa o quarto lugar no ranking nacional de casos com 51 dos 75 municípios considerados endêmicos. Entre as medidas de prevenção e controle que são recomendadas pela Organização Mundial da Saúde e que constam no Programa de Controle da Esquistossomose do Brasil, está a eliminação dos caramujos vetores e o desenvolvimento e avaliação de novas estratégias e ferramentas de controle. Diante dessas informações, este trabalho tem como objetivo analisar ecoepidemiologicamente os criadouros e focos de Biomphalaria no município de Barra dos Coqueiros, Sergipe. A princípio foram georeferenciadas as coleções hídricas do município, potenciais criadouras do caramujo. Os caramujos foram e serão coletados nessas coleções em dois períodos, sendo um o período de chuvas e o outro o período de estiagem. Os espécimes coletados foram e serão quantificados e identificados quanto à espécie. Para a análise da infecção foi e será utilizada a metodologia de fotoestimulação e a reação em cadeia de polimerase, com posterior corrida em gel de agarose 1 %. Fatores ambientais físico-químicos a serem caracterizados são a temperatura, o Potencial Hidrogeniônico (pH), a salinidade e a dureza. Entre os fatores biológicos foram e serão verificados a densidade populacional de caramujos (em número absoluto) por criadouro e a taxa de infecção. Outras características serão coletadas através de estudos observacionais com a ajuda do aplicativo Epi Info 7 (versão Android) associado a tablets e/ou smartphones¸ como localização (rural ou urbana), a origem (natural ou artificial), a movimentação da água (coleções predominantemente lóticas ou lênticas), o tempo de permanência no ambiente (temporária ou permanente), a proximidade das residências e os fins de utilização dessa coleção pela população. Está sendo realizada ainda a associação dos casos humanos da doença obtidos em estudo anterior 2005 a 2014 com os criadouros dos caramujos vetores. A associação desses dados pode ser de grande valia para o entendimento da distribuição dos casos e de quais são, de fato, os focos com importância epidemiológica para a doença em questão no município. O trabalho está sendo realizado em parceria o Laboratório de Referência em Esquistossomose do Centro de Pesquisas Aggeu Magalhães/Fiocruz, o ITPS - Instituto Tecnológico e de Pesquisas do Estado de Sergipe e a Secretaria de Saúde do município de Barra dos Coqueiros os quais dispõem de toda a infraestrutura e recursos humanos e materiais necessários à execução das atividades.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Interno - 1511959 - TATIANA RODRIGUES DE MOURA
Externo ao Programa - 2030768 - ALLAN DANTAS DOS SANTOS

Notícia cadastrada em: 14/08/2017 13:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r18291-d8b5d91c4a