A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VANESSA LIMA MACHADO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA LIMA MACHADO
DATA: 18/08/2016
HORA: 08:30
LOCAL: Sala multiuso PPEC - Dep. BIologia/UFS
TÍTULO: Prevalência da Esquistossomose Mansoni e Geohelmintíases em Escolares do Município de Malhador, Sergipe
PALAVRAS-CHAVES: Esquistossomose; Geohelmintíases; Prevalência; Análise espacial
PÁGINAS: 40
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
RESUMO:

As doenças parasitárias, nos países em desenvolvimento, ainda constituem um importante agravo à saúde por serem consideradas relevantes causas de morbimortalidade entre os brasileiros, dentre elas, podemos destacar a Esquistossomose e as Geohelmintíases. Ambas as doenças, estão relacionadas com a pobreza, a falta de saneamento adequado e de higiene e a ingestão de água ou alimentos contaminados (BRASIL, 2010a; VIDAL, 2011). O município de Malhador, por ser uma região com baixo IDH-M (0,587), por não oferecer saneamento básico adequado, por ter um índice de pobreza de 31,69%, vem participando da campanha contra geohelmintíases desde 2012 com o objetivo de diminuir a carga parasitária e de alcançar a meta de eliminação da esquistossomose estabelecida pelo Ministério da Saúde. O objetivo desse estudo foi analisar, comparativamente, as prevalências de Schistosoma mansoni e Geohelmintíases e condições sócio-ambientais em escolares do município de Malhador, Estado de Sergipe. Foi realizado um estudo epidemiológico, descritivo e de corte transversal. A obtenção das amostras foi no período de fevereiro a junho de 2016. O município de Malhador, local onde foi realizada a pesquisa, encontra-se localizado na região do agreste sergipano, a 49 km de Aracaju. O estudo foi feito em crianças em idade escolar, especificamente entre os 5 aos 14 anos de idade. A pesquisa foi desenvolvida considerando-se as etapas: a) Identificação da prevalência de Schistosoma mansoni e Geohelmintíases através do inquérito coproscópico usando o método de diagnóstico Kato-Katz com 01 (uma) amostra de cada criança, da qual foram confeccionadas e examinadas 02 (duas) lâminas; b) Associação das condições sócio-ambientais, visando relacionar à ocorrência de parasitoses nos escolares; c) Implementação das ações de promoção e prevenção de parasitoses, exibindo um vídeo sobre as parasitoses, ministrando palestra educativa e distribuindo folders educativos ambos, de linguagem simples e lúdica orientando-os sobre o ciclo, transmissão, principais sintomas, tratamento e prevenção do Schistosoma mansoni e Geohelmintíases. Antes da palestra e do vídeo, foi aplicado um questionário somente com as crianças a partir dos 7 aos 14 anos de idade com o objetivo de avaliar o conhecimento prévio sobre as parasitoses, sua transmissibilidade e a prevenção; d) Análise da distribuição espacial dos casos encontrados nas comunidades. Para a localização espacial dos casos será utilizado o método absoluto com posicionamento instantâneo de um ponto, com auxílio de um receptor GPS (Global Position System), marca Garmin. A disponibilização dos dados será realizada por meio de um sistema de consulta com base nos Sistemas de Informações Geográficas (SIG). Será utilizada nas construções dos mapas a base cartográfica do município de Malhador/SE. Os resultados serão extraídos sob a forma de mapas temáticos através do programa Terra View 4.2.0. Constatou-se que as prevalências da infecção pelo S. mansoni foi de 55,9% (n=33) e 17,6% (n=49) enquanto que, por A. Lumbricoides foi de 28,8% (n=17) e 23,7% (n=66) nas escolas Barrocão e Pacheco, respectivamente. Os escolares mais acometidos foram do sexo masculino em ambas as escolas. Prevaleceu a infecção leve nas duas escolas, segundo carga parasitária.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Interno - 1897681 - LUCIANE MORENO STORTI DE MELO
Externo ao Programa - 1787754 - LUCIENE BARBOSA

Notícia cadastrada em: 02/08/2016 08:19
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18277-8067e35817