A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: JAMILLY COSTA VASCONCELOS DE SANTANA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JAMILLY COSTA VASCONCELOS DE SANTANA
DATA: 10/03/2016
HORA: 14:00
LOCAL: Mini Auditório do CCET
TÍTULO: Classificação da dor e avaliação da qualidade de vida em pacientes com hanseníase no estado de Sergipe- Brasil.
PALAVRAS-CHAVES: Mycobacterium leprae; Hanseníase; Avaliação da Dor; Qualidade de Vida.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Protozoologia de Parasitos
ESPECIALIDADE: Protozoologia Parasitária Humana
RESUMO:

A dor tem sido uma característica comum nos pacientes com hanseníase e uma das causas pela procura dos serviços de saúde. A hanseníase é causada pelo bacilo Mycobacterium leprae, possui uma grande diversidade clínica, com probabilidade de desenvolver complicações como: estados reacionais, deformidades físicas, perda de sensibilidade, neurite e dor. A dor é fator importante que pode influenciar na qualidade de vida desses pacientes, por isso, tem-se a importância em relacionar a dor com qualidade de vida, classificando o tipo de dor para uma intervenção terapêutica mais específica para cada um destes indivíduos, o que nem sempre é feito. Desta maneira, temos como objetivo, identificar as características da dor em pacientes com hanseníase e sua relação com a qualidade de vida. O presente estudo é do tipo transversal com 260 pacientes com hanseníase ou em reações hansênicas acompanhados em centros de referências em especialidades de Sergipe, entre fevereiro a junho de 2015. A classificação da dor foi feita utilizando as escalas DN4 (Douler Neuropathique en 4 questions), LANSS (Leeds Assessment of Neuropathic Symptoms and Signs). Foi também usado o BPI (Brief Pain Inventory) para identificar a intensidade da dor nestes pacientes. A qualidade de vida foi avaliada usando o questionário World Health Organization-QoL-BREF (WHOQoL-BREF). Análise sintaxe da WHO para SPSS foi usada para calcular os escores de qualidade de vida. Teste qui-quadrado comparou as variáveis de pacientes com dor e sem dor. Teste de Mann-Whitney para avaliar as diferenças entre os domínios da qualidade de vida e a correlação de Spearmen para decrever a relação entre a intesidade da dor e qualidade de vida. O valor de p<5% foi considerado estatisticamente significante. Dos 260 pacientes, 195 (75%) apresentaram dor, desses, 166 foram classificados com dor neuropática pelo DN4 e 110 pelo LANSS. A correlação entre os instrumentos foi considerada fraca. O questionário DN4 mostrou uma melhor performance que o LANSS para detectar dor neuropática, identificando 25% mais pacientes do que o LANSS. A dor foi classificada como moderada em 84 (43,1%) pacientes e severa em 94 (48,2%). A presença da dor foi associada com incapacidade física (p=0.001), reações hansênicas (p=0.004) e baixa qualidade de vida. Concluimos então, que, a dor é uma co-morbidade presentes nos pacientes com hanseníase e está associada com uma baixa qualidade de vida destes. A avaliação da dor é primordial para identificar o tipo de dor e tratá-la adequadamente.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - Luis Eduardo Cuevas Molina
Interno - 426673 - RICARDO QUEIROZ GURGEL
Presidente - 1039375 - VERA LUCIA CORREIA FEITOSA

Notícia cadastrada em: 01/03/2016 08:59
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - dragao3.dragao3 v3.5.16 -r18277-8067e35817