A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TIAGO PINHEIRO VAZ DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TIAGO PINHEIRO VAZ DE CARVALHO
DATA: 26/07/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 1 do Pólo de Pós-graduação
TÍTULO: Desenvolvimento de um modelo animal de mielorradiculopatia esquistossomótica
PALAVRAS-CHAVES: mielorradiculopatia esquistossomótica; modelo animal
PÁGINAS: 28
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Parasitologia
SUBÁREA: Helmintologia de Parasitos
ESPECIALIDADE: Helmintologia Animal
RESUMO:

A mielorradiculopatia esquistossomótica (MRE) é uma forma grave de apresentação da infecção esquistossomótica, em que o sistema nervoso é comprometido pelo Schistosoma mansoni. Este estudo objetiva desenvolver o modelo animal para a mielorradiculopatia esquistossomótica, além de identificar as principais alterações ocasionadas pelos ovos do Schistosoma mansoni na medula espinhal através de testes comportamentais e correlacionar os aspectos morfológico e histológico da medula espinhal em função do tempo. Serão feitas duas séries experimentais divididas em seis grupos com 10 animais cada, de acordo com os dias que serão realizados os testes se sensibilidade mecânica, comportamentais e posterior eutanásia: 3º, 5º, 7º, 10º, 20º e 30º dia pós- operatório. Os grupos experimentais serão anestesiados e injetar-se-á uma suspensão de ovos de Schistosoma mansoni (1mg/mL) no espaço subaracnóideo. Os animais controle serão sumetidos ao mesmo procedimento com a asministração de solução salina (9%). A medula espinhal será removida de C1 à L5 e armazenada em frascos contendo formol a 10%. O segmento medular será submetido a cortes histológicos no plano axial com intervalo de dois milímetros e fixado em lâminas de vidro e corado pela técnica de hematoxilina-eosina. As alterações histológicas serão avaliadas quanto à presença de ovos e/ou granulomas além de agregados de células inflamatórias. Os dados referentes aos testes comportamentais e de sensibilidade serão analisados por meio do teste estatístico ANOVA two-way de amostras repetidas, seguidos do post hoc test de Bonferroni. O nível crítico será fixado em 5% para se admitir uma diferença de médias como estatisticamente significante. Os resultados serão expressos em média ± erro padrão da média. Espera-se, com esse estudo, que obtenhamos um modelo experimental viável para a mielorradiculopatia esquistossomótica. O desenvolvimento de um modelo como este proporcionará uma gama de projetos, em diversas áreas, que esclarecerão diversas dúvidas a respeito desta patologia.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1656787 - JOSIMARI MELO DE SANTANA
Presidente - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Interno - 1511959 - TATIANA RODRIGUES DE MOURA
Interno - 1687696 - WALDECY DE LUCCA JUNIOR

Notícia cadastrada em: 11/07/2013 22:38
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2023 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18277-8067e35817