Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ROBERTA TEIXEIRA ROCHA ABRITTA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ROBERTA TEIXEIRA ROCHA ABRITTA
DATA: 28/04/2020
HORA: 09:00
LOCAL: Miniauditório do CCBS, Campus de São Cristóvão
TÍTULO: ALTERAÇÕES COMPORTAMENTAIS E DA TIROSINA HIDROXILASE EM UM MODELO CRÔNICO DE RESERPINA EM RATOS
PALAVRAS-CHAVES: Modelo animal; Doença de Parkinson; Dopamina
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A doença de Parkinson (DP) é uma doença neurodegenerativa de caráter crônico e progressivo que afeta predominantemente homens idosos. A enfermidade é caracterizada pela perda progressiva e crônica de neurônios dopaminérgicos principalmente na substância negra parte compacta (SNpc). As pesquisas que envolvem modelos animais têm buscado mimetizar a natureza progressiva das alterações comportamentais e fisiopatológicas da DP. Um dos modelos, o da Reserpina (RES), é baseado na administração repetida de 10 a 15 injeções com uma baixa dose (0,1 mg/kg) em ratos, para induzir o parkinsonismo. Entretanto, a interrupção da administração de RES é acompanhada de uma recuperação das alterações observadas. O presente estudo teve como objetivo verificar se o tratamento prolongado com RES permite mimetizar a natureza progressiva e irreversível da DP, caracterizada pelas alterações comportamentais, histopatológicas em situações de tratamento prolongado (90 dias) e posterior período de abstinência. Foram utilizados 32 ratos Wistar machos divididos em 4 grupos: Controle (CTR); Reserpina (RES); Controle e posterior período de abstinência (CTR.A); RES e posterior período de abstinência (RES.A). Todos os animais receberam 45 injeções s.c. de RES (0,1 mg/kg) ou veículo, uma a cada 48h. No dia 90, os animais dos grupos CTR e RES foram mortos por perfusão transcardíaca e os encéfalos submetidos a imunohistoquímica para Tirosina Hidroxilase (TH), enquanto os animais dos grupos CTR.A e RES.A continuaram, sem receber injeções, no protocolo experimental por mais 30 dias. Ao longo de todo experimento os animais foram submetidos a testes comportamentais para avaliação da atividade motora. Os animais tratados com RES apresentaram alteração motora progressiva no teste de catalepsia a partir do dia 36. Animais do grupo RES.A apresentou reversibilidade dessas alterações 30 dias após a interrupção do tratamento. Os animais também apresentaram alterações progressivas observadas na avaliação dos movimentos orais nos três parâmetros observados: 1- tremor oral (iniciou no dia 20), 2- protrusão de língua (dia 34) e mastigação (dia 20). Os animais do grupo RES.A apresentaram reversibilidade nos três parâmetros. A avaliação da imunorreatividade para TH mostrou que o tratamento com RES foi capaz de induzir redução do número de neurônios na SNpc e Área Tegmentar Ventral (VTA), além de uma redução na densidade óptica relativa no Estriado Dorsal (ED). O grupo RES.A apresentou recuperação da imunorreatividade para TH apenas em VTA. As 45 injeções de RES, apesar de apresentar alterações motoras reversíveis, induziu um prejuízo irreversível na via nigroestriatal.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1694364 - SANDRA LAUTON SANTOS
Externo à Instituição - CAMILA GOMES DANTAS
Externo à Instituição - RICARDO GUIMARÃES AMARAL
Notícia cadastrada em: 26/03/2020 23:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c