Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MAIARA SIMÕES CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MAIARA SIMÕES CARVALHO
DATA: 12/09/2019
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de reuniões do CCBS, Campus de São Cristóvão.
TÍTULO: Mecanismo de ação espinal da via monoaminérgica na antinocicepção da corrente interferencial em ratos artríticos,
PALAVRAS-CHAVES: eletroterapia; corrente interferencial; nocicepção; receptores serotoninérgicos; receptores adrenérgicos.
PÁGINAS: 59
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A corrente interferencial (CI) é uma modalidade eletroterapêutica bastante utilizada na práticaclínica para fins analgésicos em condições dolorosas como artrite, dor lombar crônica,fibromialgia, dor pós-operatória, entre outras. Contudo, poucos estudos buscaram avaliar seusmecanismos de ação para promoção do efeito antinociceptivo. Dados do nosso grupo depesquisa apontam que o efeito anti-hiperalgésico da CI é mediado por ativação de receptoresα2-adrenérgicos e pela via do óxido nítrico, determinados por bloqueio sistêmico. O objetivodeste estudo foi investigar a participação das vias monoaminérgicas (noradrenérgica eserotoninérgica) no mecanismo de ação do efeito antinociceptivo da corrente interferencial nomodelo animal de inflamação articular em ratos Wistar. Materiais e métodos: Foram incluídosneste estudo 54 ratos Wistar machos distribuídos nos grupos CI + salina, CI + DMSO 20%, CIinativa + salina, CI inativa + DMSO 20%, CI + metisergida, CI + tropanil diclorobenzoato, CI+ ioimbina, cloridrato de serotonina e cloridrato de clonidina. No momento basal, foramrealizados testes comportamentais para sensibilidade e desempenho motor seguido de induçãodo modelo de inflamação articular por injeção de solução de carragenina 3% e caolina 3%.Após 24 horas, o comportamento foi reavaliado seguido de tratamento com a corrente,antecedido ou não de bloqueio farmacológico. O bloqueio farmacológico foi realizado por meiode injeção intratecal aplicada antes do tratamento com a corrente. Uma hora após o tratamentocom a CI, os testes comportamentais foram repetidos. Os valores de p < 0,05 foramconsiderados significativos. Resultados: Houve diminuição significativa do limiar mecânicode retirada da pata esquerda 24h após indução da inflamação em todos os grupos (p < 0,0001).Os grupos tratados com corrente interferencial que receberam veículos (salina ou DMSO 20%)aumentaram significativamente o limiar mecânico de retirada da pata em comparação aomomento pré-tratamento (p ≤ 0,001). Ambos com tamanho de efeito muito grande de acordocom o d de Cohen (d= 1,95 e d= 1,83, respectivamente). Houve bloqueio do efeito da CI nosgrupos que receberam, previamente ao tratamento com a corrente, a metisergida (antagonistanão seletivo de receptores 5-HT1 e 5-HT2) e tropanil diclorobenzoato (antagonista de receptores5-HT3). Nesses dois grupos, não houve diferença estatisticamente significante no limiarmecânico de retirada da pata esquerda, quando comparados os momentos pré e pós-tratamento.Além disso, no pós-tratamento, os grupos pré-tratados com metisergida ou tropanildiclorobenzoato não aumentaram o limiar mecânico de retirada da pata esquerda, diferente dosgrupos veículos. Os animais que receberam ioimbina (antagonista α2-adrenérgico) aumentaram o limiar mecânico de retirada da pata inflamada quando comparados os momentos pré e pós-tratamento, mostrando que esse bloqueio farmacológico não impediu o efeito da CI. A injeção intratecal de agonistas de receptores serotoninérgicos e α2-adrenérgicos (cloridrato deserotonina e clonidina) aumentou significativamente o limiar mecânico cutâneo da pataesquerda (p ≤ 0,004). Conclusão: O tratamento com corrente interferencial em intensidademotora promoveu antinocicepção em ratos Wistar machos induzidos com inflamação articular.O efeito antinociceptivo da CI é mediado por ativação espinal de receptores 5-HT1, 5-HT2 e 5-HT3 mas não de receptores α2-adrenérgicos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1698148 - ENILTON APARECIDO CAMARGO
Externo ao Programa - 2034694 - KARINA LAURENTI SATO
Externo ao Programa - 2865016 - SIMONE DE SOUZA NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 03/09/2019 09:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c