Notícias

Banca de DEFESA: DANIELY MESSIAS COSTA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DANIELY MESSIAS COSTA
DATA: 19/07/2019
HORA: 09:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO: EFEITOS ANABÓLICOS E ANTI-CATABÓLICOS DA OCITOCINA NO METABOLISMO DE PROTEÍNAS EM MÚSCULO ESQUELÉTICO DE RATAS.
PALAVRAS-CHAVES: Músculo esquelético, atrofia muscular, ocitocina.
PÁGINAS: 67
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A ocitocina (OT) é um nonapeptídeo sintetizado principalmente nos núcleos paraventricular e supraóptico do hipotálamo e liberado na circulação sanguínea através da hipófise posterior. Perifericamente, as ações clássicas deste hormônio envolvem a contração da musculatura lisa uterina e das glândulas mamárias, no entanto, estudos recentes também demonstraram que a OT é capaz de estimular a secreção de insulina in vitro e in vivo e produzir ações similares a este hormônio pancreático, o qual é considerado um dos principais reguladores da massa muscular. Embora os receptores para OT (OTR) também estejam presentes na musculatura esquelética, o papel da OT no metabolismo de proteínas musculares ainda é completamente desconhecido. Desta forma, o objetivo principal deste trabalho foi avaliar os efeitos anabólicos e anti-catabólicos da ocitocina no metabolismo de proteínas em músculo esquelético de ratas. Para isso músculos soleus de ratas wistar foram incubados com WAY 267464 (WAY), agonista seletivo não peptídico dos OTR, e a proteólise total e as atividades dos sistemas proteolíticos: Ca2+-dependente, lisossomal e dependente de ubiquitina-proteassoma (UPS) foram estimadas. A velocidade de síntese proteica também foi mensurada em músculos soleus obtidos de ratas tratadas previamente com o aminoácido puromicina e utilizados para quantificar a sua incorporação em proteínas recém-sintetizadas através da técnica de western blotting. Foi evidenciado que a ativação in vitro dos OTR atenuou a proteólise total e a atividade proteolítica dos sistemas lisossomal e UPS, sem alterar o sistema Ca2+- dependente. Paralelamente, o WAY atenuou a hiperexpressão proteica dos marcadores do UPS, isto é, MurF1 e atrogina-1 induzida pela desnervação motora sendo este efeito associado com a ativação da via de sinalização AKT/FoxO. Nos estudos in vivo, como esperado, observou-se que o tratamento com OT (3 UI.Kg-1.dia-1, i.p.) por três dias consecutivos aumentou as concentrações plasmáticas de glicose, no entanto não foram observadas diferenças significativas alterações na massa corporal, ingestão alimentar, ingestão hídrica e diurese em relação aos animais controle, tratados com salina. Contudo, o tratamento com OT produziu um efeito hipertrófico em músculos soleus, o qual foi relacionado por aumento na síntese de proteínas e ativação da via de sinalização ativada pela AKT sem qualquer alteração na expressão dos genes relacionados à atrofia. Nenhuma diferença significativa foi observada em músculos glicolíticos de animais tratados com OT, os quais demonstraram possuir uma menor expressão do RNAm para OTR em relação a músculos soleus. Em conjunto, os dados obtidos indicam que a estimulação ocitocinérgica produz efeito anabólico (in vivo) e anti-catabólico (in vitro) no metabolismo de proteínas em músculo tipicamente oxidativo (soleus) de ratas e sugerem que a OT pode ser um regulador fisiológico da massa muscular esquelética.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2307221 - DANILO LUSTRINO BORGES
Externo à Instituição - LUIZ CARLOS CARVALHO NAVEGANTES
Interno - 1694364 - SANDRA LAUTON SANTOS
Notícia cadastrada em: 15/07/2019 10:12
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c