Notícias

Banca de DEFESA: MICHAEL RAMON DE LIMA CONCEIÇAO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MICHAEL RAMON DE LIMA CONCEIÇAO
DATA: 28/02/2019
HORA: 09:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO: LUTEÍNA PREVINE HIPERTROFIA CARDÍACA INDUZIDA POR ISOPROTERENOL EM RATOS.
PALAVRAS-CHAVES: Luteína; Carotenoide; Hipertrofia cardíaca; Antioxidante
PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Introdução: A hipertrofia cardíaca (HC) é uma doença caracterizada pelo aumentoexcessivo na massa do coração com o objetivo de melhorar o desempenho cardíaco emresposta ao estresse hemodinâmico. A luteína que é um carotenóide encontrado emfrutas, verduras e hortaliças verdes apresenta potente ação antioxidante, antiinflamatóriae cardioprotetora. Com isso temos como objetivo investigar a ação anti-hipertrófica daluteína em ratos no modelo de hipertrofia induzida por isoproterenol (ISO). Métodos: Oestudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa Animal da UFS (50/17). Foramusados 5 grupos de animais, tratados durante 7 dias, via i.p: 1) controle (salina 0,9% +DMSO 0,1%), 2) luteína (LUT,5, 20, 40 mg/kg/dia, diluído em DMSO 0,1%), 3)isoproterenol (ISO, 4,5 mg/kg/dia) e 4) luteína + ISO 5) ISO+Apo( Apocinina 10mg/kg/dia. Resultados: A dose de 5 mg/kg de luteína não foi capaz de prevenir asalterações morfométricas da hipertrófica cardíaca. Entretanto, a luteína 20mg/kgtratamento dos animais com LUT preveniu o aumento da relação peso do coração/pesocorporal (ISO: 5,3 ± 0,1 mg/g e ISO + LUT: 4,5 ± 0,1 mg/g, n=10, p<0,05) e da relaçãopeso do coração/comprimento da tíbia induzido pelo ISO (ISO: 302,5 ± 8,8 mg/cm eISO + LUT: 238,2 ± 12,4 mg/cm, n=10, p<0,05). A luteína a 40mg/kg, tambémpreveniu alterações morfométricas induzida por ISO, mas como não houve diferençasignificativa em relação a 20mg/kg essa dose (20mg/kg) foi escolhida para darcontinuidade ao estudo. Os níveis séricos de LDH, CPK e CPK-MB foramsignificativamente reduzidos pelo LUT em comparação ao grupo ISO (n=5-7). A LUTpreveniu as alterações eletrocardiográficas induzidas pelo ISO (aumento do QRS e QTce inversão da onda T), além de impedir a redução da pressão do ventrículo esquerdo eda frequência cardíaca. Os corações hipertróficos apresentaram aumento da produção deespécies reativas de oxigênio (EROs) (52,6 ± 0,7 u.a.), demonstrado pelo aumento dafluorescência do dihidroetídio (DHE), que foi prevenido pela LUT (20,4 ± 1,6 u.a., n=4,p<0,05). A apocinina usada como controle positivo, preveniu as alteraçõesmorfométricas, eletrocardiográficas e contrateis característica de HC, assim comooaumento da produção de EROs. A análise histológica (Tricomo de Masson) revelouaumento de fibrose, infiltrado inflamatório e diminuição de parênquima muscular noscorações hipertróficos. O número de cardiomiócitos no grupo ISO diminuiu (223,4 ±18,21 células/mm2, n=5, p<0,05) em relação ao controle (804,3 ± 10,5 células/mm2), e que foi prevenido no grupo ISO + LUT (322,2 ± 41,1 células/mm2 , n=5, p<0,05). Osresultados mostram que a luteína exerce efeito cardioprotetor frente à hipertrofiacardíaca induzido por isoproterenol em ratos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1199629 - CARLA MARIA LINS DE VASCONCELOS
Externo à Instituição - FABRÍCIO NUNES MACEDO
Externo à Instituição - THALLITA KELLY RABELO
Notícia cadastrada em: 20/02/2019 09:20
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10803-399c5c35c