Notícias

Banca de DEFESA: KAMILLA MAYARA LUCAS DA CRUZ

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KAMILLA MAYARA LUCAS DA CRUZ
DATA: 20/02/2019
HORA: 14:00
LOCAL: A DEFINIR
TÍTULO: Efeito biológico e mecanismos de ação da corrente interferencial na antinocicepção de ratos artríticos,
PALAVRAS-CHAVES: Eletroterapia, Corrrente Interferencial, Nocicepção, Receptores Colinérgicos, Receptores Adrenérgicos, Receptores Dopaminérgicos, Óxido Nítrico
PÁGINAS: 77
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A corrente interferencial (CI) tem sido atualmente utilizada para diferentes condições clínicas, principalmente com a finalidade de analgesia. Entretanto, nada se sabe sobre o mecanismo de ação neurobiológica dessa corrente. O objetivo deste estudo foi investigar o efeito da CI em intensidade sensorial e motora na hipernocicepção causada após indução de inflamação articular e se, sistemicamente, os receptores colinérgicos, monoaminérgicos e a via do óxido nítrico estão envolvidos no mecanismo de ação antinociceptiva desta corrente. Materiais e métodos: Foram utilizados 96 ratos Wistar, divididos em série experimental comportamental (Controle, Motora e Sensorial) e série de bloqueios farmacológicos (Controle, CI + Salina, CI + DMSO, CI + Reserpina, CI + Prazosina, CI + Ioimbina, CI + Atropina, CI + Haloperidol, CI + L-NNA, CI + ODQ, CI + Glibenclamida). A estimulação elétrica foi aplicada 24 horas após a indução da inflamação e no grupo reserpina com 48h devido ao seu mecanismo de ação. Os testes comportamentais para sensibilidade e desempenho motor foram realizados antes da indução, 24 horas após a indução da inflamação e após aplicação da CI. O bloqueio farmacológico foi realizado por meio de injeção intraperitoneal aplicada antes do tratamento de acordo com o tempo de ação e dose de cada fármaco. Os valores de p < 0,05 foram considerados significativos. Resultados: Na série comportamental houve aumento do limiar sensitivo cutâneo (p = 0,03) no grupo tratado com intensidade motora, e aumento da latência térmica nos grupos tratados com intensidades sensorial e motora (p < 0,009) comparados com o momento pré-tratamento, o grupo motor apresentou maior tamanho de efeito na sensibilidade mecânica (d = 1,42). Em contrapartida a alta intensidade promoveu diminuição do desempenho motor (p = 0,03) em comparação com pré tratamento. Na série que avaliou os possíveis mecanismos de ação na série da reserpina, foi identificado que a depleção das aminas impediu o aumento do limiar sensitivo cutâneo no grupo CI+Reserpina diferentemente do grupo CI+Salina em que houve antinocicepção (p = 0,01). Das monoaminas investigadas houve impedimento no efeito da corrente no limiar sensitivo nos grupos CI + Ioimbina e CI + Atropina pois não houve diferença entre o pré e pós tratamento diferentemente do grupo CI + Salina, CI + Prazosina e CI + Haloperidol (p < 0,05). Em relação a via do óxido nítrico, a inibição da enzima oxido nítrico sintase (NOS) no grupo CI + L-NNA impediu a antinocicepção promovida pela CI e na cascata intracelular dessa via foi verificado que tanto a guanilato ciclase como os canais de K dependentes de ATP também participam do seu mecanismo anti-hiperalgésico por não aumentarem o limiar mecânico após o tratamento com CI. Todos os grupos tratados com CI mais veículo ou antagonistas tiveram redução da distância percorrida (p < 0,03) menos os grupos controle e CI + Ioimbina.Conclusão: A partir do presente estudo pode-se concluir que a corrente interferencial em intensidade motora mais efetiva para redução da antinocicepção e que esse efeito envolve mecanismos de ação dos receptores alfa-2 adrenérgico, colinérgicos e está relacionado a via do óxido nítrico.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1656787 - JOSIMARI MELO DE SANTANA
Externo ao Programa - 2034694 - KARINA LAURENTI SATO
Externo à Instituição - RICARDO GUIMARÃES AMARAL
Externo à Instituição - RICHARD ELOIN LIEBANO
Externo ao Programa - 2865016 - SIMONE DE SOUZA NASCIMENTO
Notícia cadastrada em: 11/02/2019 10:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c