Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VANESSA CIBELLE BARBOZA DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA CIBELLE BARBOZA DE CARVALHO
DATA: 29/08/2018
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: HIPOTIREOIDISMO GESTACIONAL EXPERIMENTAL E METABOLISMO NA PROLE: UMA REVISÃO SISTEMÁTICA E UMA ABORDAGEM EM DESAFIO COM DIETA HIPERLIPÍDICA,
PALAVRAS-CHAVES: hormônios tireoideanos, dieta hiperlipídica, programação fetal, revisão sistemática, gestação, prole.
PÁGINAS: 104
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Inadequado ambiente intrauterino pode predispor o feto a doenças ao longo da vida pós-natal. Nesse contexto, os hormônios tireoideanos (HTs) são essenciais nas diversas fasesda vida, em especial na gestação, pois estão associados ao crescimento e a diferenciaçãocelular. A carência de HTs durante a gestação predispõem o feto a prejuízo dodesenvolvimento neural. Entretanto, os efeitos do hipotireoidismo gestacional (HG) nometabolismo da prole ainda não estão bem evidenciados. Assim, os objetivos desseestudo foram realizar uma revisão sistemática com estudos pré-clínicos sobre o HG e asconsequências no desenvolvimento corporal e metabolismo de carboidratos da prole einvestigar o metabolismo materno e da prole aos 120 dias pós-natal (DPN) de ratasinduzidas ao hipotireoidismo gestacional associado à dieta hiperlipídica (DH) somentedurante a gestação. Foram selecionados estudos pré-clínicos de hipotireoidismoexclusivamente durante a gestação e as buscas eletrônicas foram realizadas no PubMed,Scopus, Web of Science, Embase, Lilacs e Scielo, além do google acadêmico (literaturacinzenta). Dois pesquisadores independentes identificaram os estudos, extraíram osdados e avaliaram o risco de viés. Destes foram selecionados 10 estudos que foramanalisados e conclui-se que o metabolismo de carboidratos e o desenvolvimentocorporal são prejudicados em algum momento ao longo da vida pós-natal. Para o estudoexperimental as ratas prenhas receberam DH a partir do 3º dia de gestação (DG)associado à indução do hipotireoidismo gestacional (metimazol – 0,02%, água de beber)a partir do 9º DG. Tanto a dieta quanto a indução do hipotireoidismo foraminterrompidos no dia do parto. Os HTs, homeostase glicêmica, perfil lipídico e peso dosórgãos foram avaliados nas prenhas aos 20 DG e na prole aos 120 DPN. Os dados foramsubmetidos à ANOVA de 2 ou 3 vias e, em seguida ao pós-teste de Bonferroni. Omodelo experimental induziu hipotireoidismo nas prenhas. Adicionalmente, as prenhasque consumiram DH também apresentaram diminuição de triiodotironina (T3) total. Osdemais parâmetros metabólicos avaliados não apresentaram associação entre ostratamentos estudados tanto nas prenhas quanto na prole aos 120 DPN. Entretanto, osmachos prole de ratas que receberam DH apresentaram diminuição de tiroxina (T4)total, enquanto nas proles fêmeas de ratas hipotireoideanas observou-se um aumento deT4 e uma diminuição de T3 aos 120 DPN. A homeostase glicêmica não apresentoudiferença estatisticamente significativa em ambos os sexos. Assim, conclui-se que nãohouve interação entre os fatores estudados no metabolismo da prole aos 120 DPN, emambos os sexos. Em suma, os resultados indicam que o hipotireoidismo gestacionalpromove alterações no desenvolvimento e no metabolismo de carboidratos da prole,entretanto à associação com à DH não promoveu alterações no metabolismo da proleaos 120 DPN.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Externo à Instituição - ISABELA AZEVEDO FREIRE SANTOS
Externo ao Programa - 1316604 - LUIS FELIPE SOUZA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 21/08/2018 14:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c