Notícias

Banca de DEFESA: THASSYA FERNANDA OLIVEIRA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THASSYA FERNANDA OLIVEIRA DOS SANTOS
DATA: 21/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Estudo das alterações do equilíbrio em um modelo progressivo de parkinsonismo induzido por reserpina
PALAVRAS-CHAVES: doença de Parkinson, equilíbrio, reserpina
PÁGINAS: 75
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Dentre os sintomas motores presentes na doença de Parkinson (DP), destaca-se os distúrbios do equilíbrio, por tratar-se de uma alteração complexa, queenvolve a interação de vários sistemas neuronais e cuja etiologia ainda não écompletamente compreendida pela literatura. O presente estudo objetivouavaliar as alterações comportamentais e neuroquímicas relacionadas aoequilíbrio em um modelo progressivo de parkinsonismo induzido por reserpina(RES). Foram utilizados 28 ratos Wistar machos entre 6 a 9 meses de idade,divididos aleatoriamente em dois grupos experimentais: controle (animaistratados com solução veículo – CTR e RES (animais tratados com RES 0,1mg/kg), n = 14 por grupo. Os animais receberam 4 ou 10 injeções subcutâneas(s.c) de RES ou veículo, uma a cada 48h. Ao longo do experimento os animaisforam submetidos aos testes de: 1) catalepsia - diariamente; 2) teste de campoaberto – 48h após a segunda, quarta e a décima injeção; 3) teste de equilíbriona trave – a cada 48h e 4) teste na trave estreita – a cada 48h. 48h após a 4ªinjeção, um observador externo selecionou aleatoriamente metade dos animaisde cada grupo (n = 7) e os mesmos foram mortos e submetidos a análiseimunohistoquímica para tirosina hidroxilase (TH) na substância negra partecompacta (SNpc), área tegmental ventral (VTA) e Estriado dorsal e colinaacetiltransferase (ChAT) no núcleo pedúnculopontino (NPP). Os animaisrestantes (n = 7 por grupo) foram mortos 48h após a 10ª injeção. Todos osprocedimentos foram aprovados previamente pelo comitê de ética em pesquisae uso animal da UFS sob o protocolo n. 33/2016. Os animais do grupo RESapresentaram maior tempo de permanência na barra, no teste de catalepsia, apartir do dia 12 (p=0,003) até o final do tratamento, dia 20 (p<0,0001), quandocomparados com seu grupo CTR. Na atividade geral do campo aberto, avaliadano dia 20, o grupo RES apresentou uma diminuição da distância totalpercorrida (p = 0,0012), da velocidade média (p = 0,0012) e do número deeventos de rearing (p = 0,0023), quando comparados com os animais do grupoCTR. No teste de equilíbrio na trave, o grupo RES apresentou uma diminuiçãodo tempo permanência na trave do dia 8 (p=0,005) ao dia 14 (p=0,0001),quando comparado com seu CTR. Alterações do equilíbrio também foramobservadas no teste da trave estreita, para o grupo RES do dia 4 (p=0,0007) aodia 10 (p=0,004). Foi observada uma diminuição do número de células TH+ naSNpc (p = 0,0078) e na Densidade óptica relativa (DOR) no estriado dorsal (p =0,0078) para os animais do grupo RES que receberam 10 injeções. No NPPhouve uma diminuição de células ChAT+ (p = 0,0051) para os animais dogrupo RES que receberam 4 injeções. Alterações do equilíbrio precedem asalterações motoras na catalepsia e na atividade geral do campo aberto,induzidas por baixas doses de RES. O modelo de parkinsonismo progressivo,induzido por RES, pode ser útil para uma melhor compreensão dosmecanismos envolvidos nas alterações do equilíbrio em fases iniciais, uma vezque possibilita a dissociação dessa alteração dos demais prejuízos motoresobservados na DP.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1687223 - CARLOS KAZUO TAGUCHI
Presidente - 1763997 - JOSE RONALDO DOS SANTOS
Interno - 1316604 - LUIS FELIPE SOUZA DA SILVA
Notícia cadastrada em: 05/02/2018 15:55
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10803-399c5c35c