Notícias

Banca de DEFESA: EDSON DE REZENDE SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EDSON DE REZENDE SANTOS
DATA: 19/02/2018
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: ATIVAÇÃO ASTROCITÁRIA EM ESTÁGIOS INICIAIS DE UM MODELO ANIMAL DE PARKINSONISMO PROGRESSIVO INDUZIDO POR RESERPINA,
PALAVRAS-CHAVES: doença de Parkinson, astrócito, dopamina, reserpina.
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A doença de Parkinson (DP) é um distúrbio neurodegenerativo crônico com amploespectro de sintomas motores (SM) e não motores (SNM), resultantes deneurodegeneração em múltiplos sistemas da neurotransmissão central. Células gliais,como os astrócitos, parecem estar envolvidas nesse processo, entretanto, pouco sesabe sobre a participação dessas células em estágios iniciais, no desenvolvimentoe/ou na progressão da doença. Diante disso, o objetivo deste trabalho foi avaliar aparticipação de astroglia no modelo de parkinsonismo progressivo induzido por baixasdoses de reserpina (RES). Para isso, foram utilizados 42 ratos Wistar com idade entre7 e 9 meses. Os animais foram aleatoriamente divididos em 2 grupos experimentais:controle (animais tratados com solução veículo) e RES (animais tratados com RES0,1 mg/kg), n = 21 por grupo. Os animais de ambos os grupos receberam 4, 10 ou 15injeções subcutâneas (s.c.), uma a cada 48 h, de veículo ou RES. Durante todo oexperimento foram realizados testes comportamentais: (1) catalepsia (diariamente) e(2) teste da fita (48 h após a 4ª, 8ª, 12ª e 15ª injeções). Quarenta e oito horas após a4ª (n =7 por grupo), 10ª (n = 7 por grupo) e 15ª (n = 7 por grupo) injeções, os animaisforam perfundidos e submetidos a análise imuno-histoquímica para proteína ácidafibrilar glial (GFAP) e tirosina hidroxilase (TH) no encéfalo. Todos os procedimentosexperimentais foram previamente aprovados pelo Comitê de Ética em Pesquisa comAnimais da Universidade Federal de Sergipe, sob o protocolo n. 10/2017. No teste decatalepsia, foi observado um aumento no tempo de permanência na barra, para osanimais do grupo RES, quando comparado com o grupo controle, 48 h após a 5ªinjeção (p = 0,005) e foram mantidas até o fim do tratamento. No teste da fita, o grupoRES apresentou um aumento no tempo de remoção (48 h após a 4ª (p = 0,048), 8ª (p= 0,035), 12ª (p 0,003) e 15ª (p < 0,001) injeções) e percepção do adesivo (48 h apósa 8ª (p = 0,004), 12ª (p = 0,001) e 15ª (p < 0,001) injeções). No estriado dorsal, masnão na substância negra parte compacta, no núcleo dorsal da rafe e locus coeruleuosdos animais do grupo RES, foi observado um aumento da imunorreatividade paraGFAP, 48 h após a 4ª injeção (p < 0,001), permanecendo até o fim do tratamento.Também foi observada uma redução de células TH imunorreativas na substâncianegra parte compacta dos animais tratados com RES, após a 10ª (p = 0,026) e 15ª (p= 0,038) injeções; no estriado dorsal (p = 0,014) e em VTA (p = 0,014) após a 15ªinjeção; no locus coeruleus após a 4ª (p = 0,005) e 15ª injeções (p = 0,046) e nonúcleo dorsal da rafe, após a 4ª (p = 0,016), mas não após a 10ª (p = 0,445) e 15ªinjeções (p = 0,559). Esses dados mostram que o aumento da ativação astrocitáriaocorre antes mesmo das alterações motoras, sugerindo que essas célulasdesempenham um importante papel na fisiopatologia da DP, ainda em estágiosiniciais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1763997 - JOSE RONALDO DOS SANTOS
Externo à Instituição - LARISSA RESENDE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2869587 - PATRICIA RODRIGUES MARQUES DE SOUZA
Notícia cadastrada em: 05/02/2018 15:42
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r12182-3b7fa45029