Notícias

Banca de DEFESA: CÁCIA OLIVEIRA DANTAS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CÁCIA OLIVEIRA DANTAS
DATA: 31/01/2018
HORA: 14:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Efeitos agudos do exercício resistido sobre a reatividade vascular de ratos com resistência à insulina
PALAVRAS-CHAVES: a definir
PÁGINAS: 39
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Introdução: A resistência à insulina (RI) precede as manifestações clínicas de diversascondições patológicas. Dentre elas destaca-se a disfunção vascular que provoca danos nosmecanismos vasorrelaxantes e, portanto, contribui para elevação da pressão arterial. Oexercício resistido (ER) promove benefícios no sistema cardiovascular, uma sessão já écapaz de induzi-los, desse modo pode ser uma ferramenta não-farmacológica útil nocombate dessa disfunção. Porém, os efeitos atenuantes de uma sessão de ER sobre adisfunção endotelial induzida pela RI precisam ser esclarecidos. Objetivo: Investigar osefeitos de uma sessão de exercício resistido de intensidade moderada sobre a funçãovascular de animais com resistência à insulina. Métodos: Foram utilizados ratos Wistarmachos (300-350 g) (CEPA/UFS 34/16). A indução da RI foi feita através daadministração de dexametasona (2 mg/kg/dia/i.p./7 dias) nos grupos sedentário resistenteà insulina (SRI) e exercitado resistente à insulina (ERI) e solução salina 0,9% no gruposedentário controle (SC). O grupo ERI foi submetido ao protocolo de ER que consistiuem 5 séries de 10 repetições com intensidade de 60% do teste de uma repetição máxima.A sensibilidade sistêmica à insulina foi avaliada através do teste de tolerância à insulina(TTI) durante e depois da indução. Após a sessão de ER, os ratos foram eutanasiados esubmetidos ao protocolo de avaliação da reatividade vascular em anéis de artériamesentérica superior, obtendo curvas concentração-resposta para a insulina (10-1310-6mol/L) na ausência e presença de L-NAME (100 mol/L) ou LY 294002 (50 mol/L),outetraetilamônio (TEA) (10 mol/L), ou glibenclamida (GLI) (10 mol/L), ou BQ 123 (10mol/L). Os resultados foram apresentados como a média ± EPM e foi utilizado o testeANOVA de duas vias seguido do pós-teste de Bonferroni. Resultados: No TTI, notou-sedo dia 6 que o grupo SC apresentou sensibilidade à insulina preservada (35,2 mg/dL), ogrupo SRI teve diminuição dessa sensibilidade (105,4 mg/dL). No dia 8 o grupo SCapresentou sensibilidade à insulina ainda preservada (41 mg/dL), o grupo SRI aindaapresentou sensibilidade reduzida (108,5 mg/dL) e o grupo ERI, apresentou melhora nasensibilidade após o exercício (72,1 mg/dL). O vasorrelaxamento induzido pela insulinano grupo SRI foi atenuado quando comparado ao grupo SC (Rmáx= 10,3 ± 0,7% vs 22,8± 2,2% p<0,0001) e que uma sessão de ER foi capaz de reverter essa atenuação (Rmáx=23,2 ± 2,2%, p<0,0001). Em anéis pré-incubados com L-NAME o vasorrelaxamento foipraticamente abolido no grupo SC (Rmáx= 3,7 ± 1,1%, p<0,0001), enquanto no grupo SRIhouve uma contração (Rmáx= -4,9 ± 0,7 %, p<0,0001). E o grupo ERI apresentou umaumento no vasorelaxamento induzido pela insulina quando comparado ao grupo SC(Rmáx= 12,1 ± 0,9 % vs. 3,7 ± 1,1%, p<0,001).Na presença do LY 294002 houve reduçãodo relaxamento em todos os grupos (SC: Rmáx= 8,8 ± 1,0%, p<0,0001; SRI: Rmáx= 4,4 ±
0,7 %, p<0,0001 e ERI: Rmáx= 13,3 ± 2,0%, p<0,0001) Em anéis incubados com L-NAME+TEA o relaxamento de todos os grupos foram praticamente abolidos (SC: Rmáx=
3,7 ± 1,8% p<0,0001; SRI: Rmáx= 0,0 ± 1,4%, p<0,0001; ERI: Rmáx= 3,4 ± 0,8 %,p<0,0001). Na presença de L-NAME + GLI o resultado foi semelhante ao da presençacom L-NAME+TEA (SC: Rmáx= 3,2 ± 1,0% p<0,0001; SRI: Rmáx= 0,4 ± 0,9%, p<0,0001;ERI: Rmáx= 3,6 ± 0,8 %, p<0,0001). E na presença de L-NAME+BQ 123, os grupos SC eSRI tiveram o relaxamento abolido (SC: Rmáx= 2,2 ± 1,1% p<0,0001; SRI: Rmáx= 0,1 ±1,3%, p<0,0001), no entanto, o grupo ERI apresentou relaxamento (Rmáx= 10,4 ± 1,4 %,p<0,0001).Conclusão: Nossos resultados sugerem que uma sessão de ER comintensidade moderada é capaz de promover ajustes na disfunção vascular gerada pela RIatravés de mecanismos dependentes de NO e dos canais para K+do subtipo KATP.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3573579 - ANDRÉ SALES BARRETO
Externo à Instituição - PATRÍCIA SANTOS CUNHA MENDONÇA
Externo à Instituição - VITOR ULISSES DE MELO
Notícia cadastrada em: 22/01/2018 10:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c