Notícias

Banca de DEFESA: KARENINE MARIA HOLANDA CAVALCANTE

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KARENINE MARIA HOLANDA CAVALCANTE
DATA: 15/12/2017
HORA: 08:30
LOCAL: A definir
TÍTULO: EFEITOS DO AMBIENTE ENRIQUECIDO SOBRE A MEMÓRIA AVERSIVA E A IMUNORREATIVIDADE PARA ZIF-268 E TH NO SISTEMA MESOCORTICOLÍMBICO DE RATOS.
PALAVRAS-CHAVES: ambiente; memória; medo; córtex pré-frontal; plasticidade neuronal; agentes dopaminérgicos.
PÁGINAS: 85
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

O enriquecimento ambiental (EA) proporciona estímulos visuais, motores, somatosensoriais, cognitivos, além de favorecer relações sociais; tornando-se um modelo interessante para entender mecanismos subjacentes à plasticidade do cérebro em animais de laboratório. O EA reduz a sensibilidade à perda de recompensa, reduzindo estados emocionais do tipo frustração em ratos. Também favorece estratégias de enfrentamento, facilitando a extinção da memória de medo condicionada ao contexto. O presente estudo objetivou analisar efeitos do EA sobre a memória emocional em situação de medo condicionado ao contexto e sobre neurônios do sistema mesocorticolímbico em ratos Wistar adultos jovens. A pesquisa foi organizada em dois experimentos: Experimento I, visando identificar os efeitos do EA de curto e médio prazo sobre a expressão do medo e sobre neurônios do sistema mesocorticolímbico; e Experimento II, com o intuito de avaliar efeitos da modulação dopaminérgica no infralímbico (IL) sobre a extinção do medo em ratos submetidos a EA de curto prazo. No primeiro, foram utilizados 36 ratos distribuídos em três grupos (n=12): controle (Ctr), EA de curto prazo (EA2), com duração de duas semanas, e EA de médio prazo (EA4), com duração de quatro semanas. Os grupos foram submetidos ao teste comportamental do medo condicionado ao contexto (MCC), dividido em três fases: Condicionamento, Evocação (Sessão 1) e Extinção (Sessão 2). Foram realizados estudos imuno-histoquímicos para ZIF 268 e TH no sistema mesocorticolímbico. No segundo experimento foram utilizados 72 ratos distribuídos em seis grupos (n=12): controle salina (CtrS), controle haloperidol (CtrH), controle apomorfina (CtrA), EA salina (EAS), EA haloperidol (EAH) e EA apomorfina (EAA); que foram submetidos ao mesmo protocolo de MCC. Nesse experimento, o EA foi de 2 semanas. Mostramos que o EA altera o comportamento defensivo dos animais no enfrentamento de situações aversivas não condicionadas, como um ambiente novo e a presença de estímulos do tipo choque elétrico. Alterações no comportamento de animais previamente mantidos por duas ou quatro semanas em EA, em situação de medo condicionado ao contexto, também foram identificadas; e quando previamente mantidos por duas semanas, os animais apresentam um favorecimento da extinção do medo condicionado ao contexto, reduzindo o tempo de congelamento na sessão teste da extinção. Observamos alterações quanto a aspectos neuroplásticos nas áreas mesocorticolímbicas, como hipocampo e amígdala, após submetermos os animais a EA, entretanto, apenas o EA2 reduziu a expressão de Zif-268 em VTA. Identificamos que o EA proporciona um aumento no padrão da expressão de TH em VTA e NAcc e que apenas o EA2 altera a sua expressão em áreas como hipocampo e IL. Finalmente, a injeção de apomorfina, agonista dopaminérgico, e de haloperidol, antagonista dopaminérgico para receptores D2, no IL de animais submetidos a EA por duas semanas, dificultam a extinção do medo condicionado ao contexto. Assim, EA altera o comportamento defensivo e a memória emocional de ratos, e a duração do EA interfere de maneira diferenciada. A ausência do benefício sobre o enfrentamento do EA de média duração sugere uma tolerância aos efeitos emocionalmente positivos do EA. A modulação dopaminérgica no IL está envolvida com a melhora no enfrentamento resultante do EA de curto prazo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1199629 - CARLA MARIA LINS DE VASCONCELOS
Interno - 1316604 - LUIS FELIPE SOUZA DA SILVA
Externo ao Programa - 1026181 - LÍVIA CRISTINA RODRIGUES FERREIRA LINS
Presidente - 2225863 - MURILO MARCHIORO
Externo à Instituição - YWLLIANE DA SILVA RODRIGUES MEURER
Notícia cadastrada em: 28/11/2017 16:22
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r10803-399c5c35c