Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: PATRÍCIA SANTOS CUNHA MENDONÇA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PATRÍCIA SANTOS CUNHA MENDONÇA
DATA: 23/06/2017
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Efeitos cardiovasculares do extrato aquoso das folhas da planta Chrysobalanus icaco em ratos.
PALAVRAS-CHAVES: Chrysobalanaceae; hipertensão arterial; vasorrelaxamento.
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Chrysobalanus icaco é uma planta medicinal que tem sido utilizada popularmente para o tratamento da hipertensão. Assim, objetivo do presente trabalho foi avaliar os efeitos hipotensor, antihipertensivo e vasorrelaxante do extrato aquoso das folhas de Chrysobalanus icaco (EACI). Para tanto, foram utilizados ratos Wistar machos (CEPA/UFS: 49/16). Cateteres foram implantados para a obtenção de medidas diretas de pressão arterial média (PAM) e frequência cardíaca (FC) antes e após a administração intravenosa de EACI (5, 10, 20, 40 mg/Kg; i.v.) em ratos normotensos e da administração oral única ou por 7 dias de EACI (400 mg/Kg; v.o.; gavagem) em ratos hipertensos induzidos por L-NAME (20 mg/Kg, v.o.; gavagem/7 dias). Anéis de artéria mesentérica foram montados em cubas para órgão isolado e valores de tensão foram registrados por um transdutor de pressão. O EACI nas doses de 5, 10, 20 e 40 mg/kg (i.v.) foi capaz de induzir hipotensão persistente (-8 ± 1; -11 ± 1, -14 ± 1% e -27 ± 2% (mmHg), respectivamente; n=7) associada à taquicardia (3 ± 1; 8 ± 2 e 11 ± 4% e 20 ±5 % (bpm), respectivamente; n=7). A hipotensão na dose de 40 mg/kg foi atenuada pelo pré-tratamento com L-NAME (-21,2 mmHg ± 1,9%; n=6) ou indometacina (INDO) (-19,3 mmHg ± 3,2%; n=6) e potencializada após hexametônio (HEXA) (-36,7 mmHg ± 4,0%; n=6). A taquicardia foi potencializada pelo L-NAME (31,1 bpm ± 4,7%; n=6) ou INDO (24,3 bpm ± 2,8%; n=6) e atenuada pelo HEXA (9,3 bpm ± 1,4%; n=6). A administração em dose única pela via oral do EACI não promoveu alterações na PAM de ratos hipertensos em relação ao veículo (121,4 ± 0%; n=5 vs.118,6 ± 8,7% (mmHg); n=5). Porém, o tratamento durante 7 dias foi capaz de reduzir significativamente a PA (145 ± 2,3% vs 172,4 ± 14% (mmHg); n=5). Em preparações de artéria com endotélio funcional e pré-contraídas com fenilefrina, EACI (1 à 3000 μg/ml) foi capaz de induzir vasorrelaxamento (Rmáx: 109,4 ± 10,0%; n=7) que foi atenuado após a remoção do endotélio (Rmáx: 68,6 ± 11,8%; n=10) e praticamente abolido em anéis sem endotélio funcional pré-contraídos com KCl 80 mM (Rmáx: 7,1 ± 3,0%; n=4) ou em anéis pré-incubados com TEA ou L-NAME, exceto na concentração de 3000 μg/ml. A pré-incubação com atropina não foi capaz de alterar o vasorrelaxamento (Rmáx:107,9 ± 4,2%; n=4) induzido pelo EACI. Os resultados demonstraram que o EACI foi capaz de induzir hipotensão associada à taquicardia com possível envolvimento de NO e PGI2. Esse efeito foi observado com a administração do extrato por via oral durante 7 dias em ratos hipertensos. Além disso, EACI foi capaz de induzir vasorrelaxamento em anéis de artéria mesentérica que parece envolver a participação do endotélio, via liberação de NO e de canais para potássio. Porém em concentrações mais altas, o EACI parece agir por uma via independente de NO e de canais para potássio.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1694364 - SANDRA LAUTON SANTOS
Interno - 2225863 - MURILO MARCHIORO
Externo à Instituição - THALLITA KELLY RABELO
Notícia cadastrada em: 12/06/2017 14:32
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r10803-399c5c35c