Notícias

Banca de DEFESA: DEMETRIUS SILVA DE SANTANA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DEMETRIUS SILVA DE SANTANA
DATA: 25/05/2017
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Um máximo empírico para a esfericidade de vetores aleatórios: aplicação ao crescimento somático de ratos em um estudo com modelo experimental de hipotireoidismo gestacional.
PALAVRAS-CHAVES: hipotireoidismo gestacional; função renal; crescimento somático; esfericidade; vetor aleatório.
PÁGINAS: 82
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

O hipotireoidismo, em suas formas clínica e subclínica, é endocrinopatia de prevalência significativa em mulheres gestantes. Dada a dependência fetal de hormônios tireoidianos (HTs) maternos, a sua carência pode estar relacionada a efeitos duradouros no organismo em desenvolvimento, tendo em vista a ação ubíqua dos HTs nos tecidos de maneira geral e, em particular, nos rins. O objetivo do estudo foi avaliar, na prole de ratas na vida adulta, a influência dos HTs maternos na função renal e no crescimento somático, bem como a relação da função renal com a pressão arterial sistólica (PAS). Além disso, buscou-se novo método de análise de curvas de peso corporal. As ratas Wistar utilizadas foram divididas em três grupos experimentais principais: eutireoideanas controle; hipotireoideanas por adição de metimazol (0,02%) na água de beber; e eutireoideanas por reposição hormonal, recebendo tanto metimazol (0,02%) quanto levotiroxina (T4, 100 µg/L) na água de beber. Os tratamentos foram realizados do 9º ao 21º dia de gestação. Com as proles das ratas, foram feitas cirurgias de nefrectomia ou pseudo-cirurgia equivalente no 4º dia pós-natal (DPN); mensuração de pressão arterial (PA) com cerca de 90 DPN através de um pletismógrafo de cauda; e, coleta de sangue e urina para avaliação do clearance de creatinina com cerca de 110 DPN. Para a avaliação do crescimento somático, os animais foram pesados entre 1 e 3 vezes por semana após o desmame. Foi elaborado método de análise de curvas de peso corporal por ajuste de curva sigmoide de quatro parâmetros, reduzidos a dois componentes principais mantendo-se 92% da correlação original. O hipotireoidismo gestacional experimental (HGE) não teve efeito significativo sobre a PAS (p* > 0,200), exceto em sua interação com o ciclo estral. Houve interação do ciclo estral com a reposição de T4 da mãe e nefrectomia, em que a queda de PAS na fase lútea foi acentuada (p* = 0,039). O peso corporal no 4º DPN não apresentou correlação com a PAS (p* = 0,716). Também não houve correlação entre a PAS e o clearance de creatinina (p* = 0,803). O HGE não teve efeito significativo sobre o clearance de creatinina nem sobre os componentes principais das curvas de peso corporal (p* > 0,200). Portanto, não foi possível verificar, com a abordagem utilizada, qualquer efeito do hipotireoidismo gestacional sobre a pressão arterial da prole adulta, nem sobre a função renal e tampouco sobre o crescimento somático. A análise das curvas de peso corporal teve implicações para o coeficiente de esfericidade de estudos que usam análise de variância de medidas repetidas para modelar esses dados e permitiu uma definição precisa do início da vida adulta dos animais quanto ao seu crescimento somático.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1333720 - DANIEL BADAUE PASSOS JUNIOR
Externo ao Programa - 1543809 - GASTAO FLORENCIO MIRANDA JUNIOR
Interno - 2081986 - HECTOR JULIAN TEJADA HERRERA
Notícia cadastrada em: 02/05/2017 07:57
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10803-399c5c35c