Notícias

Banca de DEFESA: KATTY ANNE AMADOR DE LUCENA MEDEIROS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: KATTY ANNE AMADOR DE LUCENA MEDEIROS
DATA: 13/02/2015
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: "Efeito do Geraniol no comportamento e no padrão de ondas cerebrais de ratos"
PALAVRAS-CHAVES: Óleos essenciais; Sedação; Atividade motora; Ondas cerebrais; Diazepam.
PÁGINAS: 62
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Óleos essenciais são compostos voláteis extraídos de plantas aromáticas. Entre as moléculas
naturais encontradas em óleos essenciais, o geraniol vem sendo bastante estudado. Isso já foi
mostrado na literatura como agente quimiopreventivo, antimicrobiano, antioxidante, anti-inflamatório e neuroprotetor. Entretanto, ainda há escassez de estudos que abranjam a
influência desse composto sobre o sistema nervoso central. Esta pesquisa teve como objetivo
caracterizar o efeito do geraniol nos padrões de ondas cerebrais, no comportamento motor e
tipo ansiedade de ratos Wistar. Foram utilizados 179 ratos Wistar machos, com idade entre 3 e
4 meses, provenientes do Biotério Central e do Laboratório de Neurofisiologia da UFS. Os
testes comportamentais realizados foram: placa perfurada, campo aberto e tempo do sono
induzido por barbitúrico. Para caracterizar o padrão de ondas cerebrais foi feito
eletrocorticograma (ECoG). Foi realizada ANOVA para análise entre grupos, seguido do teste
post-hoc de Newman Keuls para múltiplas comparações. Os dados foram expressos em média
± erro padrão E.P.M. e nível de significância de p < 0,05 para diferenças estatisticamente
significativas. Para realização das análises foram utilizados o software Statistica 8.0 e o
Graphpad Prism 5.0. Observamos, na placa perfurada, que a dose de 2,0 mg/kg de Diazepam
aumentou o tempo de imobilidade e diminuiu o número e tempo de rearing. Houve uma
ampla elevação no tempo de head-dipping nos animais tratados com Diazepam 0,5 mg/kg.
Quanto ao teste do campo aberto, Diazepam na dose de 5,0 mg/kg diminuiu distância
percorrida, logo os animais tratados com esta dose permaneceram a maior parte do tempo
imóveis. O número e tempo de rearing foram elevados nos animais tratados com Diazepam na
dose de 1,5 mg/kg e reduzidos com Diazepam 5,0 mg/kg. Ao testar o Geraniol nas doses de 25,
50 e 100 mg/kg nos dois aparatos supracitados, vimos que a dose de Geraniol de 100 mg/kg
diminuiu distância percorrida, número e tempo de rearing, número e tempo de head-dipping e
aumentou tempo de imobilidade na placa-perfurada comparado aos grupos controles (Salina e
Diazepam 0,5 mg/kg). Do mesmo modo, observamos no campo aberto que animais tratados
com Geraniol (50 e 100 mg/kg) também reduziram a distância percorrida, número e tempo de
rearing e aumentaram tempo de imobilidade em relação ao grupo Salina e Diazepam 1,5
mg/kg. No teste do tempo de sono induzido por barbitúrico, Geraniol (100 mg/kg) não alterou
a latência do sono, todavia elevou o tempo de sono do animal assemelhando-se aos animais
tratados com Diazepam 5,0 mg/kg. Ademais, Geraniol (100 mg/kg) aumentou
significativamente a porcentagem de ondas lentas (0,5 - 1,5 Hz) no espectro de potência total
do ECoG. Diante dos dados obtidos, concluímos que Geraniol (100 mg/kg) comporta-se como
droga hipnótico-sedativa.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1893534 - ADRIANA ANDRADE CARVALHO
Externo à Instituição - JEAN FABER FERREIRA DE ABREU
Presidente - 2225863 - MURILO MARCHIORO
Notícia cadastrada em: 22/01/2015 13:43
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10840-e5b57c044