Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DOUGLAS BONFIM LIMA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DOUGLAS BONFIM LIMA
DATA: 10/11/2014
HORA: 09:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: Efeitos do extrato de Croton argyrophyllus sobre o estresse oxidativo em ratas submetidas a exercício resistido de alta intensidade
PALAVRAS-CHAVES: Croton argyrophyllus; antioxidante; estresse oxidativo; exercício.
PÁGINAS: 42
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

Os exercícios físicos fazem bem a saúde. Todavia, o exercício resistido agudo de alta intensidade favorece a produção de radicais livres, os quais podem gerar estresse oxidativo que podem resultar em lesões no organismo. Nos últimos tempos há crescente interesse em testar produtos naturais, como extrato de plantas para amenizar os efeitos dos radicais livres, devido à presença nos mesmos, de substâncias antioxidantes. O Objetivo deste estudo foi avaliar o efeito protetor do extrato hidroetanólico de C. argyrophyllus contra o estresse oxidativo induzido por programa de exercício físico resistido agudo de alta intensidade em ratas. No presente estudo, o perfil fitoquimico do extrato hidroetanólico das folhas de C. argyrophyllus foi investigado através de reações colorimétricas ou de precipitação, enquanto o teor de fenóis totais foi quantificado usando o método de Folin-Ciocalteu. Para estudar o efeito agudo do extrato sobre o estresse oxidativo, ratos Wistar (200-250g) foram divididos em 4 grupos: 1) Grupo veículo sedentário (TW-EE, n = 7) – composto por animais sedentários tratados com veículo (tween 80, via oral (vo); 2) Grupo veículo treinado (TW-EX, n = 6) - composto por animais tratados com veículo (tween 80, vo) e submetidos a protocolo de treinamento resistido; 3) Grupo extrato sedentário (EHE-EE, n = 6) - composto por animais sedentários e tratados com extrato EHE de C. argyrophyllus (200 mg/kg, vo); 4) Grupo extrato treinado (EHE-EX, n = 7) composto por animais treinados com exercício resistido e tratados com EHE de C. argyrophyllus a (200 mg/kg, vo). Os níveis de marcadores do estresse oxidativo foram analisados. Devido ao baixo teor fenólico (64,680 ±9,060 mg de eq-AG/g no extrato), foi constatada atividade sequestradora dos radicais DPPH próximo de 40%. A administração aguda do extrato reduziu, no grupo treinado, os níveis de CK no plasma (54,13%, p<0,05) e no músculo (46,35%, p<0,05); de LDH no plasma (30,53%, p<0,05); e de MDA muscular (65,51%, p<0,05) em comparação aos que receberam o veículo Tween 80. O extrato também reduziu no grupo sedentário, a LDH plasmática (47,14%, p<0,05) e muscular (65,43%, p<0,05). Desta forma, os resultados sugerem que o consumo do extrato hidroetanólico da C. argyrophyllus conferiu considerável proteção contra o estresse oxidativo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1698331 - ANDERSON CARLOS MARCAL
Presidente - 1694364 - SANDRA LAUTON SANTOS
Interno - 1687696 - WALDECY DE LUCCA JUNIOR
Notícia cadastrada em: 29/10/2014 09:15
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bemtevi1.bemtevi1 v3.5.16 -r12182-3b7fa45029