Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VANESSA CIBELLE BARBOZA DE CARVALHO

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VANESSA CIBELLE BARBOZA DE CARVALHO
DATA: 07/02/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório da POSGRAP_Polo de Pós-Graduação
TÍTULO: EFEITO DO HIPOTIROIDISMO GESTACIONAL EXPERIMENTAL ASSOCIADO À DIETA HIPERLIPÍDICA NO METABOLISMO COMPORTAMENTAL INGESTIVO DA PROLE DE RATAS
PALAVRAS-CHAVES: hipotireoidismo congênito, dieta hiperlipídica, programação fetal, ingestão alimentar, marcadores bioquímicos
PÁGINAS: 64
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Fisiologia
RESUMO:

A obesidade e outras patologias associadas a esta como diabetes tipo 2, hipertensão, doenças cardiovasculares, entre outras, apresentam-se como crescente problema de saúde pública e tem como causa principal a modificação do estilo de vida da população. Ademais, o hipotireoidismo gestacional apresenta considerável prevalência e já está devidamente documentado que a carência de hormônios tireoideanos durante a gestação gera repercussão na maturação do sistema nervoso central durante a vida pós-natal. As condições intrauterinas as quais o feto se desenvolve tem um importante papel na regulação da função de seus sistemas fisiológicos na vida adulta. Assim, acredita-se que quantidade insuficiente dos hormônios tireoideanos durante a vida intrauterina associado ao estado nutricional inadequado das mães durante a gestação pode predispor diversos tecidos a deflagrar mecanismos fisiopatológicos ao longo da vida adulta. O objetivo do presente estudo foi avaliar os aspectos metabólicos e o comportamento ingestivo da prole de ratas induzidas ao hipotireoidismo associado à dieta hiperlipídica durante a gestação. A partir do 3º dia de gestação (DG) as ratas prenhas receberam dieta hiperlipídica e, a partir do 9º DG, iniciou-se, também, a indução do hipotireoidismo gestacional experimental (HGE) adicionando metimazol 0,02% na água de beber. Tanto a dieta quanto a indução ao hipotireoidismo foram interrompidos no dia do parto. Nas ratas prenhas foi realizado o acompanhamento da massa corporal e da ingestão alimentar do 3º DG ao 20º DG. Na prole foi avaliado a massa corporal e o comprimento da cauda do 1 dia pós-natal (DPN) aos 120 DPN e, aos 60 PDN, realizou-se o teste de tolerância à insulina (TTI), o teste de tolerância à glicose (TTG), dosagens bioquímicas e o peso relativo dos órgãos, em ambos os sexos. Além disso, investigou-se o comportamento ingestivo de ração, água e NaCl 0,3M somente nos machos da prole. Os dados foram submetidos à ANOVA de duas ou três vias e pós-teste de Bonferroni. A prole de ratas submetidas à associação do hipotireoidismo com a dieta hiperlipídica (PRH + DH) apresentou retardo na abertura ocular (p<0,05) e menor massa corporal nos machos dessa prole, a partir do 44º DPN, (p< 0,05) quando comparada a prole de ratas eutireoideanas submetidas à dieta hiperlipídica (PRE + DH). Além disso, constatou-se que os machos da PRH + DH apresentaram maior hematócrito e, também, maiores concentrações de triglicérides, colesterol, ureia quando comparado à prole de ratas hipotireoideanas com dieta controle (PRH + DC). As fêmeas da PRH + DH apresentaram melhor sensibilidade à glicose, aos 30 minutos, no teste de tolerância à glicose, quando comparadas a PRH + DC (p<0,05) e a PRE + DH (p<0,01), entretanto não foram encontradas diferença, nas fêmeas dos grupos estudados, na glicemia de jejum e no teste de tolerância à insulina. O HGE associado à dieta hiperlipídica, exclusivamente durante a gestação, está associado a déficit no desenvolvimento e dislipidemia na vida pós-natal dos machos dessa prole, sugerindo que parece haver uma programação diferenciada a depender do sexo.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1698148 - ENILTON APARECIDO CAMARGO
Externo ao Programa - 2021286 - LILIANE VIANA PIRES
Presidente - 2693741 - VALTER JOVINIANO DE SANTANA FILHO
Notícia cadastrada em: 16/01/2014 15:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r10803-399c5c35c