A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: AMANDA LYS MATOS DOS SANTOS MELO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: AMANDA LYS MATOS DOS SANTOS MELO
DATA: 24/11/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Miniauditório do DCEM/P²CEM
TÍTULO: ESTUDO DA DEGRADAÇÃO DE PROPILPARABENO ATRAVÉS DE FOTOCATÁLISE UTILIZANDO COMPÓSITO DE TiO2/Fe3O4
PALAVRAS-CHAVES: compósito magnético; tratamento de efluentes; propilparabeno; fotocatálise
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
SUBÁREA: Materiais Não-Metálicos
ESPECIALIDADE: Cerâmicos
RESUMO:

Com a expansão populacional e industrial, diversos poluentes estão aumentando sua presença nos corpos hídricos. Dentre esses poluentes, os chamados poluentes emergentes apresentam baixa eficiência de remoção por tratamentos convencionais, apresentando alto potencial de toxicidade. Diante disso, tecnologias estão sendo aprimoradas ou desenvolvidas para o tratamento de água, como os processos oxidativos avançados (POAs). Como exemplo de POA, a fotocatálise heterogênea baseada em semicondutores é considerada uma alternativa promissora para combater poluentes emergentes, onde uma grande variedade de compostos pode ser completamente mineralizada. Neste contexto, este trabalho realiza um estudo do processo de fotocatálise heterogênea utilizando TiO2 e o compósito TiO2/Fe3O4 como catalisadores para realizar a degradação do poluente Propilparabeno. A utilização do semicondutor TiO2 se justifica por sua alta eficiência em processos fotocatalíticos, enquanto a escolha do compósito TiO2/Fe3O4 como catalisador é proposta no trabalho devido à influência esperada do material ferromagnético na estrutura final do compósito. Os fotocatalisadores produzidos foram caracterizados por DRX, MEV e FTIR. O compósito obtido apresentou as fases cristalinas predominantes anatase e magnetita, bem como atividade fotocatalítica. A eficiência dos materiais foi determinada sob irradiação ultravioleta através da degradação do propilparabeno, em que a maior eficiência foi obtida com o compósito de 80,83% (20 ppm) e para TiO2 puro foi de 94,52% (5 ppm) de degradação do propilparabeno. Os sólidos presentes nas soluções tratadas com o compósito TiO2/Fe3O4 foram removidos por indução de campo magnético. Esses achados corroboram para o benefício de utilizar o compósito proposto como uma alternativa valiosa a um fotocatalisador de alta eficácia para degradação de poluentes emergentes, como o propilparabeno.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1338723 - ROSANE MARIA PESSOA BETANIO OLIVEIRA
Interno - 426667 - MARIO ERNESTO GIROLDO VALERIO
Externo ao Programa - 3274466 - HELENICE LEITE GARCIA

Notícia cadastrada em: 18/11/2022 09:56
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r19181-717445561f