A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ANTELMO SANTOS CHAVES

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANTELMO SANTOS CHAVES
DATA: 25/08/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Mini Auditório do P²CEM
TÍTULO: EFEITO DA DEFORMAÇÃO PLÁSTICA ACUMULADA NO DESEMPENHO À FADIGA DE AÇO SUPER DUPLEX EMPREGADO EM TUBOS UMBILICAIS PARA PRODUÇÃO DE PETRÓLEO
PALAVRAS-CHAVES: Aço inoxidável super duplex; Umbilical; APS; Fadiga.
PÁGINAS: 67
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

O cabo umbilical é hoje uma das grandes tecnologias utilizadas para controle de equipamentos no leito marinho na produção de petróleo offshore em águas profundas e ultraprofundas. O umbilical é constituído por vários componentes, inclusive tubo de aço para transporte de fluidos para controle hidráulico de equipamentos no leito. Tais tubos são susceptíveis à fadiga durante a vida em operação do umbilical. A resistência a fadiga é influenciada pela deformação plástica acumulada (APS) sofrida pelos tubos durante todo processo de fabricação até instalação/armazenamento em carreteis. Esse presente estudo investigou se a maneira como acontece a APS influencia na resistência à fadiga dos tubos. Para isso, foram usinados corpos de prova de fadiga a partir de tubo super duplex de umbilical, os quais receberam 5% de APS por flexão cíclica de duas formas diferentes: flexão repetida e flexão alternada. As tensões e deformações residuais que ficaram acumuladas nas amostras, foram medidas por simulação computacional. Análises microestruturais e de microdureza foram realizadas nos corpos de prova após fratura por fadiga. Embora a microdureza do grupo submetido a flexão alternada tenha apresentado dureza um pouco maior, a ANOVA demonstrou que não foi significativa essa diferença, como também não houve relevantes alterações na microestrutura dos dois grupos de amostras após a fratura por fadiga. Porém, o grupo submetido a deformação plástica alternada apresentou menor resistência a fadiga, evidenciando, que a maneira como os tubos são deformados durante a fabricação e armazenamento influencia o seu desempenho em fadiga.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1748688 - ROGERIO MACHADO
Interno - 2015878 - SANDRA ANDREIA STWART DE ARAUJO SOUZA
Presidente - 358689 - SANDRO GRIZA

Notícia cadastrada em: 24/08/2022 15:39
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e