A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: GISELA AZEVEDO MENEZES BRASILEIRO

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GISELA AZEVEDO MENEZES BRASILEIRO
DATA: 15/08/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Mini Auditório do DCEM
TÍTULO: Produção, caracterização e avaliação da durabilidade de compósitos cimentícios com partículas de pó de coco.
PALAVRAS-CHAVES: Compósitos cimentícios; Partículas de pó de coco.
PÁGINAS: 166
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

Este trabalho teve como objetivo desenvolver compósitos cimentícios com a adição de partículas de pó de coco, CCC. Inicialmente, foi avaliada a viabilidade da substituição dos agregados miúdos pelas partículas de pó de coco para produção dos compósitos. Para melhorar a compatibilidade do pó de coco com o cimento Portland, foram realizados tratamentos químicos das partículas. Foram produzidos compósitos cimentícios com as partículas tratadas a fim de avaliar a influência dos pré-tratamentos nas propriedades físicas e mecânicas dos compósitos. Posteriormente, avaliou-se o efeito da granulometria das partículas nas propriedades físicas e mecânicas dos compósitos. A durabilidade dos compósitos foi avaliada pelos métodos de envelhecimento natural externo e interno por até 6 meses e pelo envelhecimento acelerado em câmara de envelhecimento acelerado por ação de raios UV e condensação por até 180 ciclos. Da análise geral dos resultados, observou-se que foi possível utilizar as partículas de pó como substituto total da areia nos compósitos cimentícios. A adição das partículas de pó de coco à pasta de cimento resultou em mudanças nas propriedades mecânicas e físicas dos compósitos. Os compósitos produzidos apresentaram resistência mecânica e densidade aparente que permitem sua utilização como materiais leves. Os tratamentos químicos das partículas de pó de coco com pH alcalino e a diminuição da granulometria influenciaram positivamente a compatibilidade com o cimento e os compósitos ficaram mais resistentes e mais densos. Na avaliação da durabilidade, verificou-se que compósitos com partículas tratadas também tiveram melhor desempenho e que os resultados do envelhecimento natural interno indicaram a utilização dos compósitos como material para a produção de elementos construtivos de vedação interna.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - CARLOS ALBERTO PASKOCIMAS
Externo à Instituição - HOLMER SAVASTANO JUNIOR
Interno - 1495228 - IARA DE FATIMA GIMENEZ
Presidente - 426679 - LEDJANE SILVA BARRETO
Interno - 1692550 - MARCELO MASSAYOSHI UEKI

Notícia cadastrada em: 31/07/2013 10:46
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2024 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r19181-717445561f