Notícias

Banca de DEFESA: ANDRE LUIZ LIMA MENEZES DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANDRE LUIZ LIMA MENEZES DOS SANTOS
DATA: 27/02/2014
HORA: 15:00
LOCAL: Á DEFINIR
TÍTULO: Estudo da composição fitoquímico e avaliação dos efeitos antioxidante antimicrobiano e inotrópico de casca e entrecasca de Myracrondruon urundeuva (Allemão).
PALAVRAS-CHAVES: Myracrondruon urundeuva; constituintes químicos; atividade antioxidante; atividade antimicrobiana, efeito inotrópico
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

A Caatinga apresenta uma grande variedade de espécies com elevado potencial fitoterápico devido aos compostos fenólicos que demonstram interessantes propriedades antiinflamatórias, cicatrizantes, antioxidantes e antimicrobianas. Dentre as plantas da caatinga destaca-se a aroeira do sertão (Myracrodruon urundeuva) que apresenta grande uso farmacológico. Em virtude disto este estudo teve como objetivo caracterizar quimicamente os metabólitos secundários do extrato hidroetanólico e frações de Myracrodruon urundeuva (Allemão) responsáveis por possível sua atividade antioxidante, atividade antimicrobiana além de avaliar o efeito inotrópico do extrato bruto no átrio esquerdo de cobaio (Cavia porcellus). A composição química foi avaliada através de métodos colorimétricos, Folin-Ciocalteau, complexação com o alumínio e cromatografia líquida de alta eficiência (CLAE). Quanto à atividade antioxidante, esta foi avaliada através de dois métodos, o do radical 2,2 difenil-1-picril-hidrazila (DPPH•) para EHE, FCL, FAE, FHM e o das substâncias reativas ao ácido tiobarbitúrico (TBARS), frente às amostras EHE, FCL, FAE, FHM, utilizando o agente indutor da lipoperoxidação, sulfato ferroso (FeSO4). Os dados foram expressos como média ± erro padrão e as diferenças determinadas por ANOVA seguida do teste de Tukey. Pela prospecção fitoquímica bem como a CLAE/ DAD-UV-VIS foi possível confirmar a presença de flavonoides, terpenos, taninos dentre outros metabólitos secundários. Com relação à atividade antioxidante, a FAE e FHM e o EHE tiveram efeito semelhante ao Ácido Gálico na captura do radical DPPH com valores de CE50 de 6,84±0,19, 7,15±0,32, 12,11±1,50 e 1,25±0,55 μg/mL, respectivamente. Por outro lado, frente ao TBARS, o EHE foi capaz de reduzir em média de 64,13% da oxidação lípidica enquanto a hidrometanólica inibiu cerca de 57,35% nas concentrações de 150 e 200 μg/mL demonstrando assim maior especificidade para radicais oriundos de nitrogênio do que oxigênio. O EHE, FAE e FHM da entrecasca de M.urundeuva apresentaram halos de inibição 11,00±0,00 a 20,50±0,71 mm sugerindo atividade antimicrobiana frente a alguns microrganismos Gram +, Gram – e levedura sendo que para este ultimo houve em uma das concentrações efeito semelhante à Tetraciclina®. O modelo de átrio isolado demonstrou que o EHE atua antagonizando não-competitivamente correntes de cálcio do músculo diminuído a força de contração em cerca de 60%. A CE50 obtida foi de 2080±600 μg/mL. Os índices de fenóis e flavonoides totais não exercem influência sobre todos os efeitos biológicos avaliados sendo que amostras com altos índices não necessariamente apresentaram boa resposta. Diante destes resultados, pode-se inferir que o extrato hidroetanólico e frações de M. urundeuva possuem diversos constituintes químicos, tais como fenois, taninos, flavonoides, terpenos são responsáveis pelo efeitos antioxidante antimicrobiano e inotrópico de casca e entrecasca de Myracrondruon urundeuva (Allemão).


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - AMARO DE MENDONÇA CAVALCANTE
Externo ao Programa - 3553547 - BRANCILENE SANTOS DE ARAUJO
Presidente - 2335200 - CHARLES DOS SANTOS ESTEVAM
Notícia cadastrada em: 21/01/2014 16:11
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r11677-41a65c637d