Notícias

Banca de DEFESA: VALERIA SANTOS SANTANA OLIVEIRA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VALERIA SANTOS SANTANA OLIVEIRA
DATA: 20/02/2020
HORA: 14:00
LOCAL: DIDATEC, BLOCO B SALA 6 Departamento de Biologia
TÍTULO: Ecofeminismo e o ensino de Biologia: sexismo e especismo nas falas de estudantes veganas
PALAVRAS-CHAVES: Movimento Ecofeminista, Ensino de Biologia, Afetividade, Mulheres veganas
PÁGINAS: 84
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Ensino-Aprendizagem
ESPECIALIDADE: Teorias da Instrução
RESUMO:

Partindo de considerações que mostram a Ciência historicamente mais compatível com habilidades constituintes do gênero masculino, aqui ressaltamos a importância de serem debatidas temáticas que aproximem o ensino da disciplina de Biologia ao feminino. Primeiramente, refletimos sobre aproximações entre o ensino de Biologia e alguns movimentos que fazem denúncias aos sistemas de opressão patriarcal, como é o caso do ecofeminista. Em segundo lugar, buscamos compreender se indicadores de uma consciência compatível com a construção ecofeminista podem ser colhidos das falas de mulheres veganas sobre como elas tem construído suas relações de afeto com os animais a ponto de deixarem de comê-los. Por fim, buscamos entender se desses relatos podemos construir reflexões sobre um ensino de Biologia mais compatível com a afetividade e o feminino. Dessa forma, essa pesquisa objetiva analisar indicadores de elementos ecofeministas nas falas de mulheres veganas sobre como elas têm construído uma relação de afeto com a natureza e animais não humanos, com atenção especial aos temas do sexismo e do especismo e como essa relação poderá contribuir para o ensino de Biologia. Para tanto, foram aplicadas oito entrevistas semiestruturadas com estudantes veganas da Universidade Federal de Sergipe, cujo quantitativo foi orientado por critérios de saturação do discurso. Os relatos foram gravados, transcritos e interpretados a partir da Análise do Conteúdo proposta por Bardin. O qual teve como resultados depoimentos que mostraram aproximações afetivas das histórias dessas estudantes com a natureza e os animais. De acordo com os relatos o ensino de Biologia que é passado em sala de aula ainda precisa de um avanço em relação a empatia com os animais não humanos e da natureza de modo geral. Também foi possível identificar uma intrínseca relação entre o sexismo e o especismo, por meio do preconceito de gênero que existe em meio a sociedade e pelo fato do ser humano se sentir superior em relação aos outros animais, que por sua vez são separados, em aqueles que podem ser consumidos e aqueles que podem ser tidos como parte da família. Contudo, é preciso desconstruir esses entraves que são reproduzidas ao longo do tempo e tentar aprender com o auxílio do ecofeminismo o que a natureza tem a ensinar a partir das vivências com os outros animais.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1674029 - ALICE ALEXANDRE PAGAN
Interno - 1694328 - WELLINGTON BARROS DA SILVA
Externo à Instituição - MARIANA GUELERO DO VALLE
Notícia cadastrada em: 23/01/2020 09:13
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r15440-bf36319aa9