Notícias

Banca de DEFESA: TERESINHA MARIA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TERESINHA MARIA DOS SANTOS
DATA: 28/03/2018
HORA: 09:00
LOCAL: Secretaria do PPGCIMA
TÍTULO: INCLUSÃO DOS ALUNOS COM SÍNDROME DE DOWN NAS AULAS DE MATEMÁTICA:DESAFIOS E PERSPECTIVAS
PALAVRAS-CHAVES: Educação Matemática. Processo de Aprendizagem. Síndrome de Down.
PÁGINAS: 115
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Matemática
SUBÁREA: Matemática Aplicada
RESUMO:

Esta pequisa teve como método um estudo de caso com abordagem qualitativa, cujo objetivo foi analisar a aprendizagem do Sistema de Numerção Decimal e Resolução de Problemas elementares da Matemática do dia a dia por uma aluno com Síndrome de Down, matriculado no primeiro ano do ensino fundamental de um colégio da rede particular de ensino na cidade de Aracaju. O estudo foi dividido nas seguintes etapas: levantamento bibliográfico, aplicação de entrevistas com professores e tutor legal da criança, além de 36 horas de observações e 80 horas de intervenções . O suporte teórico sobre a síndrome de Down foi elaborado a partir dos estudos de Siegfried Pueschel e José Salomão Schwartzan; as entrevistas, observações e intervenções basearam-se nos conceeeito de Heraldo Marelim Vianna e Marli Eliza D.A. de André. As atividades desenvolvidas nas intervenções form pautadas nas experiências de Constance Kamii, Leo Yokoyama e na teeoria de desenvolvimento mental de Jean Piaget. Foram consideradas as limitações cognitivas causadas pela trissomia no cromossomo 21, as quais podem interferir no processo de aprendizagem dos conteúdos matemáticos das pessoas com essa deficiência intelectual, por isso as atividades trabalhadas nas intervenções tentaram entender o desenvolvimento cognitivo do aluno, principalmente no procedimento de contagem e na associação de quantidade dos objetos ao número correspondente. Nessa perspectiva, foram utilizados materiais manipuláveis, maquina de calcular, jogos e a estrutura arquitetônica (escadaria) do colégio, com vistas a mobilizar o aluno no aprendizado dos saberes elementares da Matemática. A utilização dos materiais e recursos serviram de facilitadores na aproximação do aluno com os conteúdos matemáticos, como: quantificar e no procedimento de contagem. As dificuldades cognitivas da criança observada foram e estão sendo paulatinamente administradas, com avanços significantes diante das especificidades que são peculiares às pessoas com essa deficiências, a exemplo: concentração, contnuidade e finalzação das atividades. A sistematização das atividades, os materiais concretos associados às funções sociais da Matemática, a mediação da professora contribuíram para aumentar o nível cognitivo e facilitaram a compreensão do sistema de numeração decimal da criança com Síndrome de Down em questão. Os estudos sobre o tema não se esgotaram, inquestionável a necessidade de prosseguir com a pesquisa, que poderá nortear as atividades das pessoas com SD no processo de desenvolvimento a aprendizagem dos saberes matemáticos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2205727 - VERONICA DOS REIS MARIANO SOUZA
Interno - 1674029 - ALICE ALEXANDRE PAGAN
Externo ao Programa - 1079351 - MARTHA MORAIS MINATEL
Notícia cadastrada em: 05/03/2018 11:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - bigua3.bigua3 v3.5.16 -r15368-99f189d34b