Notícias

Banca de DEFESA: GICÉLIA MARIA DE OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GICÉLIA MARIA DE OLIVEIRA SANTOS
DATA: 12/03/2018
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de reunião do Departamento de Física do Campus de Itabaiana
TÍTULO: UM OLHAR SOBRE A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE FÍSICA NO BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Formação de professores; Ensino de Física; Política Pública; PIBID
PÁGINAS: 146
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Planejamento e Avaliação Educacional
ESPECIALIDADE: Política Educacional
RESUMO:

Esta pesquisa teve o objetivo de analisar o resultado das políticas públicas federais para a formação de professores de Física para a educação básica do Brasil. Dentre as políticas pertinentes, o Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (PIBID) recebeu atenção especial. Essa pesquisa se apoiou nas estatísticas sobre os professores de Física no Brasil e no conceito de saberes docentes de Tardif (2012). Os procedimentos metodológicos adotados dividiram-se em duas ações: a primeira se apresentou como uma pesquisa quantitativa do tipo estudo documental realizada a partir dos dados estatísticos sobre a titulação dos professores de Física da educação básica e sobre a sua formação no ensino superior, os quais foram coletados nas Sinopses Estatísticas do Ensino Superior publicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira e na Plataforma CultivEduca e analisados por meio da Estatística Descritiva; e a segunda compreendeu um estudo qualitativo do tipo estudo de casos, representados pelas figuras do professor coordenador de área e do professor supervisor do PIBID, cujas opiniões foram coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas e analisadas por meio da análise temática de Bardin (1977). A análise mostrou que de um modo geral, os professores de Física são, na verdade, professores de Matemática ou outros profissionais que estão lecionando sem qualquer suporte metodológico ou teórico. O número de vagas nos cursos de Licenciatura em Física cresceu muito e o de candidatos, ainda mais. Contudo, esse crescimento não foi acompanhado pelo aumento do número de ingressos, o que fez com que o crescimento das vagas ociosas representasse a estatística mais expressiva. Esses cursos também apresentaram um crescimento das taxas de evasão, tal que a média da taxa de evasão estimada pelo modelo da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o mais preciso no estudo, foi de 60,2%. Os sujeitos de pesquisa apontaram que algumas ações do PIBID podem reduzir as vagas ociosas, a evasão e a retenção nesses cursos. Além disso, as atividades realizadas no PIBID podem mobilizar diversos saberes docentes, beneficiando os licenciandos e as instituições de ensino envolvidas. Os dados levantados mostram que o problema da carência de professores de Física com a formação específica continua. Assim, para que a 15ª Meta do Plano Nacional de Educação (2014-2024) seja alcançada, é necessário um maior investimento em políticas públicas que promovam um crescimento da atratividade para a profissão docente e a permanência dos licenciados nas salas de aula.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1717002 - RENATO SANTOS ARAUJO
Interno - 1641977 - MARCIO ANDREI GUIMARAES
Externo à Instituição - JOSÉ ROBERTO DA ROCHA BERNARDO
Notícia cadastrada em: 20/02/2018 09:09
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r15440-bf36319aa9