Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: GICÉLIA MARIA DE OLIVEIRA SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GICÉLIA MARIA DE OLIVEIRA SANTOS
DATA: 20/09/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Sala de reuniões do Departamento de Física do Campus de Itabaiana
TÍTULO: UM OLHAR SOBRE A POLÍTICA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE FÍSICA NO BRASIL
PALAVRAS-CHAVES: Formação de professores; Ensino de Física; Política Pública
PÁGINAS: 110
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Planejamento e Avaliação Educacional
ESPECIALIDADE: Política Educacional
RESUMO:

A qualidade da educação de um país está associada à qualidade da formação dos seus professores. Nesse contexto, esta pesquisa estuda alguns aspectos da formação de professores de física por meio de um estudo quantitativo-qualitativo. Seu objetivo é analisar o impacto das políticas públicas voltadas para a oferta de formação nos cursos de licenciatura e discutir o potencial de uma política específica, o PIBID, na perspectiva dos seus atores. Essa pesquisa está apoiada no referencial teórico construído a partir dos trabalhos de Tardif (2012), Nóvoa (2009), Contreras (2012) e outros. Os procedimentos metodológicos desse estudo dividem-se em duas ações principais. A primeira se apresenta como uma pesquisa quantitativa do tipo estudo documental realizada a partir dos dados estatísticos sobre os professores da educação básica e a sua formação no ensino superior. Os dados foram coletados nas Sinopses Estatísticas do Ensino Superior publicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP/MEC) e na Plataforma CultivEduca (UFRGS) e analisados por meio da Estatística Descritiva (MOTULSKY, 1995). A segunda parte desta pesquisa compreende um estudo qualitativo do tipo estudo de casos (GIL, 2002). Cada caso foi representado pelas figuras do professor coordenador de área, do professor supervisor e do coordenador do curso de licenciatura, cujas opiniões foram coletadas por meio de entrevistas semiestruturadas (MINAYO; DESLANDES; GOMES, 2009). A análise desses dados foi realizada por meio da análise temática (BARDIN, 1977). Para a qualificação apresentar-se-á a análise dos dados quantitativos, pois o estudo qualitativo, apesar da coleta sido concluída e os dados transcritos, sua análise ainda não foi concluída. Como resultado, constatou-se um crescimento do número de vagas de Licenciatura em Física no Brasil, bem como de candidatos e ingressos no período de 2000 a 2015. O número de matrículas e de concluintes também tiveram aumentos de 277,18% e 361,79%, respectivamente, para os cursos presenciais. A partir de 2006, com a implantação da Universidade Aberta do Brasil, o número de matrículas na modalidade a distância cresceu 119,77%. Apesar desses resultados positivos, problemas ainda existem. A ociosidade das vagas apresenta um valor muito elevado, representando 53,63% das vagas na modalidade presencial em 2015. E as médias das taxas de evasão, obtidas por diferentes modelos matemáticos, variaram entre 16,7% e 60,2%. Isso faz com que, apesar dos avanços, a situação do país no que diz respeito ao ensino de física permaneça crítica. Percentualmente, o número de professores de física em sala de aula com formação específica está caindo, tal que em 2016 apenas 19,9% dos docentes tinha essa titulação. Esses elementos colocam em xeque a capacidade do país em cumprir a 15ª Meta do PNE (2014-2024) que propõe dar a formação específica a todos os professores até o ano de 2024.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1717002 - RENATO SANTOS ARAUJO
Interno - 1641977 - MARCIO ANDREI GUIMARAES
Externo à Instituição - JOSÉ ROBERTO DA ROCHA BERNARDO
Notícia cadastrada em: 29/08/2017 10:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r15440-bf36319aa9