Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOANA KELLY SOUZA DOS SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOANA KELLY SOUZA DOS SANTOS
DATA: 18/09/2017
HORA: 16:00
LOCAL: Laboratório de Ensino de Matemática
TÍTULO: APROPRIAÇÕES DO MÉTODO INTUITIVO DE CALKINS PARA O ENSINO DOS SABERES GEOMÉTRICOS EM REVISTAS PEDAGÓGICAS BRASILEIRAS (1890-1930)
PALAVRAS-CHAVES: Saberes Geométricos. Método Intuitivo de Calkins. Revistas Pedagógicas.
PÁGINAS: 94
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
RESUMO:

Neste texto é apresentado o resultado de uma pesquisa que teve por objetivo de caracterizar as apropriações do método intuitivo de Calkins para o ensino de saberes geométricos na escola primária, presente em revistas pedagógicas que circularam no Brasil durante o período de 1890 a 1930. Com relação ao entendimento de apropriação, foi utilizado Chartier (2003), Calkins (1886/1950) para a compreensão de princípios do método intuitivo e Leme da Silva (2015) para saberes geométricos. A opção por examinar o método intuitivo a partir de Calkins (1886/1950) pode ser justificada pela constatação em pesquisas que indicavam propostas para o ensino de saberes geométricos a partir da obra Lições de Coisas de autoria de Calkins (1886/1950). Por meio do exame das fontes, foram identificados que de novecentos e dezesseis (916) exemplares de revistas pedagógicas, duzentos e cinquenta e três (253) apresentavam orientações sobre os saberes geométricos para o ensino primário. Dentre essas, 10 (dez) artigos continham referência explícita a Calkins (1886/1950) e 64 (setenta e quatro) referências implícitas. Por isso, efetuamos dois movimentos, o primeiro em relação aos artigos que apresentavam o uso explícito de Calkins (1886/1950) e o segundo em que tomamos por base os princípios desse autor. Como resultado preliminar, identificamos que nos artigos das revistas os autores fizeram a apropriações dos princípios ao orientar que o ensino fosse partido do estímulo dos sentidos. Para isso, foi identificado o uso da percepção e observação de objetos ou figuras desenhadas no quadro pelo professor ou por um aluno, quando solicitado. A ação desses princípios era realizada partindo, principalmente, do diálogo, instigando os alunos a ver os objetos e formar sentenças sobre os mesmos. Foi verificado que eles estavam presentes em alguns momentos das lições, ora sozinhos, outras vezes acompanhados da comparação, quando confrontavam figuras e/ou objetos do cotidiano ou exibidos pelo professor, a associação ao relacionar os conceitos estudados com as situações cotidianas, a classificação ao catalogar os objetos ou figuras e o juízo ao sistematizar os conteúdos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1546518 - IVANETE BATISTA DOS SANTOS
Interno - 574.597.205-00 - LAERTE SILVA DA FONSECA
Externo à Instituição - MARIA CÉLIA LEME DA SILVA
Notícia cadastrada em: 28/08/2017 08:52
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r15368-99f189d34b