Notícias

Banca de DEFESA: SAMIRA CRISTINA DE SANTANA PENA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: SAMIRA CRISTINA DE SANTANA PENA
DATA: 31/03/2017
HORA: 10:00
LOCAL: Campos São Cristovão
TÍTULO: ESTUDO QUANTITATIVO DA CARÊNCIA E DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS NATURAIS PARA ENSINO FUNDAMENTAL
PALAVRAS-CHAVES: Ensino de ciências. Políticas públicas. Formação de professores. Pesquisa quantitativa
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Educação
SUBÁREA: Planejamento e Avaliação Educacional
ESPECIALIDADE: Política Educacional
RESUMO:

O objetivo dessa pesquisa é verificar como as políticas públicas de formação de professores no Brasil têm atuado para a formação de professores de ciências naturais, tendo em vista a falta de professores que caracteriza o cenário nacional e o prazo de dez anos, determinado pelo Plano Nacional de Educação (PNE). A motivação para realização dessa pesquisa surgiu ao longo de minha formação na graduação, na qual percebi a falta de conteúdos destinadas ao ensino de ciências naturais. Esta pesquisa está inserida em um projeto maior coordenado pelo Professor Renato Santos Araujo, o qual estuda as políticas públicas de formação de professores de física, química, biologia, ciências naturais e matemática com foco no Programa Institucional de Bolsa Iniciação à Docência (PIBID/CAPES). Nesta dissertação será realizada parte da primeira etapa do projeto maior destinada à formação de professores de ciências naturais. O trabalho será dividido em etapas: primeiramente apresenta-se o curso de Licenciatura em Ciências Naturais ao longo do século XX e observa-se que no momento atual não está claro na legislação quem deve lecionar essa disciplina nos anos finais do ensino fundamental. Isto justificou uma revisão bibliográfica sobre o ensino de ciências e a formação de professores de ciências. Nesse contexto, buscou-se discutir os saberes necessários para a formação dos professores de ciências, como por exemplo conhecer a matéria, adquirir conhecimentos teórico, fazer uso da pesquisa e da inovação, saber avaliar e outros. Dessa forma foi possível traçar um perfil para esse profissional e esclarecer que para se ensinar ciências é necessário ter saberes e práticas específicas. Em seguida foram apresentadas algumas políticas públicas destinadas à formação de docentes, como o PIBID, o PARFOR, o PRODOCÊNCIA e a UAB, numa espécie de panorama do foi feito pelos governantes neste século. Metodologicamente, foi realizada uma pesquisa documental, com abordagem quantitativa. As fontes de dados usadas foram as Sinopses Estatísticas do Ensino Superior e da Educação Básica, publicadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (INEP), e o Portal CultivEduca, criado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Os dados coletados informam, sobre os cursos de licenciatura, a oferta de vagas, número de candidatos, ingressos, matrículas e concluintes, e sobre a educação básica, o número de turmas, professores que lecionam ciências naturais e suas titulações. As análises de dados produziram, dentre outros resultados, estimativas para as taxas de evasão e estimativas de concluintes. A análise de dados foi realizada por meio de estatística descritiva e foi possível destacar que houve uma diminuição da oferta de vagas para os cursos de Licenciatura em Ciências Naturais e que grande parte dos professores que lecionam essa disciplina nas escolas brasileiras não possuem a formação exigida pela LDB. É provável que essa Licenciatura possa acabar extinta e sendo substituído por outras licenciaturas, como Ciências Biológicas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1717002 - RENATO SANTOS ARAUJO
Interno - 426682 - CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
Externo ao Programa - 2448855 - TIAGO NERY RIBEIRO
Notícia cadastrada em: 10/03/2017 22:33
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r15440-bf36319aa9