Notícias

Banca de DEFESA: JOSAEL BRUNO DE SOUZA LIMA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSAEL BRUNO DE SOUZA LIMA
DATA: 29/08/2014
HORA: 15:00
LOCAL: Sala do NPGECIMA
TÍTULO: PERCEPÇÃO AMBIENTAL DE DISCENTES E DOCENTES DA EDUCAÇÃO BÁSICA: UM ESTUDO EM ESCOLAS PÚBLICAS DE ARACAJU/SE
PALAVRAS-CHAVES: Educação ambiental; Formação de Professores; Percepção Ambiental; Escola Pública; Questão socioambiental
PÁGINAS: 102
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Multidisciplinar
RESUMO:

A Constituição Brasileira de 1988, em seu artigo 225, Capítulo VI - Do Meio Ambiente, Inciso VI, destaca a necessidade de “promover a Educação Ambiental em todos os níveis de ensino e a conscientização pública para a preservação do meio ambiente”(BRASIL, 1988). Em consonância com estes preceitos constitucionais, outras leis federais, estaduais e municipais determinam a obrigatoriedade da Educação Ambiental. Assim, cada vez mais é explicitada a responsabilidade de todas as pessoas quanto à questão ambiental. A percepção ambiental como uma tomada de consciência do ambiente pelo ser humano, que como parte deste ambiente ao cuidar deste cuida de si mesmo, é um recurso importante para a promoção

da Educação Ambiental, de forma crítica. Neste contexto, o estudo da percepção ambiental é de fundamental importância para uma melhor compreensão das inter-relações entre o ser humano e o ambiente, suas expectativas, anseios, satisfações e insatisfações, julgamentos e condutas, bem como para fortalecer adoção de estratégias educacionais que possam promover a efetiva Educação Ambiental como o movimento de tomada de consciência sócio-política, atitudinal/comportamental visando à sustentabilidade

socioambiental, conforme aponta Faggionato. Nesse contexto, foi definido como problema central neste estudo a seguinte questão: Quais os tipos de percepção do meio ambiente apresentados por alunos, alunas, professoras e professores do Ensino Fundamental e Médio de duas escolas da Rede Estadual de Sergipe situadas no bairro Farolândia, em Aracaju, Sergipe. Em consonância seu objetivo geral busca analisar as percepções ambientais do meio ambiente apresentados por esses sujeitos, buscando perceber a partir disso, qual o papel da escola nesse contexto. Trata-se de um estudo de caso de abordagem qualitativa, embora com uso de dados quantitativos, que articula procedimentos exploratórios e descritivos. Os dados iniciais revelam que predomina uma percepção de que o meio ambiente do entorno das escolas apresenta problemas. Que a auto-percepção enquanto cidadã/cidadão protagonista do ser humano em relação ao meio ambiente atem-se a questão do lixo urbano (34,2%), com a natureza como espaço a ser conservado e preservado (33,6%), a governo, pessoas/sociedade (16,7%), finalizando de forma menos representativa com ações relacionadas à educação (2,8%). Isso nos aponta inicialmente a demanda significativa por uma mudança de paradigma na sociedade e na educação em relação às questões socioambientais.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426682 - CARMEN REGINA PARISOTTO GUIMARAES
Presidente - 1545817 - MARIA BATISTA LIMA
Externo à Instituição - RENATO DE MEI ROMERO
Notícia cadastrada em: 26/08/2014 17:44
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2021 - UFRN - bigua2.bigua2 v3.5.16 -r15440-bf36319aa9