A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: GABRIEL MACHADO DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: GABRIEL MACHADO DOS SANTOS
DATA: 24/02/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: "PERMITA QUE EU FALE, NÃO AS MINHAS CICATRIZES: ORALIDADES E VIVÊNCIAS DE ESTUDANTES LGBTQI+ NO ENSINO MÉDIO"
PALAVRAS-CHAVES: Sexualidade, Educação, Sociologia, LGBTQI+
PÁGINAS: 107
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

A pesquisa desenvolvida consistiu no contínuo destaque e debate acerca das nuances e percepções das imagens produzidas na e pela escola acerca da discussão sujeito, escola e sexualidades na perspectiva de contribuir com as atividades que visam identificar e dialogar com os mecanismos controladores do comportamento social e que se configuram numa rotina estanque e demasiada equivocada, com grandes consequências para os envolvidos. Discute inicialmente algumas questões pertinentes ao desenvolvimento e construção histórica do conceito de direito humano, sua relação com a educação e entende o acesso a uma educação de qualidade como princípio fundamental na hora de garantir os demais direitos sociais e políticos. Deste modo, o objetivo do trabalho foi identificar as principais barreiras construídas ao longo do tempo, pela sociedade e agentes envolvidos, que provocaram e provocam o afastamento social e a notória evasão escolar da população LGBTQI+ quando esta busca acesso aos estudos para uma melhor condição de vida e desenvolvimento pessoal diante dos preconceitos ocorridos no decorrer de suas vidas. A pesquisa foi realizada com 3 (três) pessoas ligadas direta e indiretamente às violências lgbtfóbicas presentes na escola. Os dados foram coletados por meio de um roteiro de entrevista semiestruturado gravada através da plataforma googlemeet, e analisados através da técnica de análise de conteúdo. Entre os principais resultados revelou-se: 1) Preconceito contra pessoas LGBTQI+ advindas de crenças e valores religiosos, 2)Perseguição a estudantes LGBTQI+, 3)Tratativas nocivas e proibitivas específicas a estudantes LGBTQI+, 4) Necessidade de um espaço acolhedor para estudantes LGBTQI+, 5) Mediação das tensões e conflitos, 6)Insegurança,7) Ausência de pessoas trans na escola, 8) Necessidade de capacitação e aperfeiçoamento profissional, 9) Necessidade de revisar o currículo, suas práticas e as interações sociais, 10) Necessidade de compreender os fatores sociais que incidem no desempenho escolar. Desta feita, observou-se que as demandas da população LGBTQI+ tem se mantido e direcionado ainda no campo das tendências conservadoras e fundamentalistas que cerceiam as reflexões e discussões a partir do currículo educacional. Com isso, faz-se necessária a contínua investida de projetos, capacitações e instrumentos diversos que possibilitem a democratização escolar, recebendo e oferecendo aos sujeitos LGBTQI+ o acolhimento e preparo para vida através de uma educação justa e inclusiva.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 2555548 - CHRISTIAN LINDBERG LOPES DO NASCIMENTO
Presidente - 3359639 - IVAN FONTES BARBOSA
Interno - 1153453 - MARCO AURELIO DIAS DE SOUZA

Notícia cadastrada em: 23/02/2022 17:30
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r17743-f9ff511828