A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ERNA RAISA LIMA RODRIGUES DE BARROS

Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ERNA RAISA LIMA RODRIGUES DE BARROS
DATA: 15/06/2020
HORA: 15:00
LOCAL: Videoconferência
TÍTULO: Uma cidade muda não muda - graffiti e a presença das mulheres no espaço público
PALAVRAS-CHAVES: graffiti; gênero; cidades; mulheres; espaços hostis
PÁGINAS: 369
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Sociologia
RESUMO:

“Uma Cidade muda não muda: graffiti e mulheres no espaço público” propõe uma leitura do graffiti enquanto fenômeno urbano em diálogo com a estrutura da cidade como espaço de disputas a partir de uma perspectiva de gênero. Busca contribuir para uma discussão sobre o transitar das mulheres pelo ambiente público “por sobre os ombros” de grafiteiras que ressignificam estes espaços, apoiadas na representação de entendimentos sobre uma cidade pensada e planejada segundo uma ideia de universalidade do humano, ou seja, uma perspectiva hegemônica do masculino em detrimento do feminino. Assim, o objetivo principal da Tese é a identificação dos espaços hostis à presença das mulheres no espaço público da cidade e a reflexão acerca da resistência das grafiteiras a estes espaços através da reinvindicação de uma agência na cidade. Para isso, a metodologia utilizada foi a observação dos usos cotidianos e discursos de grafiteiras na Grande Aracaju – SE, através do registro fotográfico e fílmico de suas intervenções no ambiente urbano, percorrendo diferentes trajetos junto a elas, e também sozinha, a fim de compreender a prática do graffiti como ferramenta de representação, contestação e expressão feminina. Deparei-me durante estes trajetos com uma estrutura urbana que atende por uma lógica masculina de planejamento não sensível ao gênero, que impõe às mulheres um transitar cheio de limitações, que apresentei nesta Tese através de Pranchas Fotográficas, dispostas em montagens das imagens colhidas em campo. A pesquisa teve como resultado a compreensão de que as grafiteiras resignificam e transgridem diferentes espaços hostis às mulheres, guiadas por sentimentos de resistência e sororidade, através da reinvindicação de uma agência estetizada e de dinâmicas particulares de diálogo e atuação na cidade.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 3146237 - DANIELLE PARFENTIEFF DE NORONHA
Presidente - 2512859 - FRANK NILTON MARCON
Externo à Instituição - GLÓRIA MARIA DOS SANTOS DIÓGENES
Interno - 426602 - ROGERIO PROENCA DE SOUSA LEITE
Interno - 2454411 - VILMA SOARES DE LIMA BARBOSA

Notícia cadastrada em: 07/05/2020 11:51
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r17743-f9ff511828