A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MARCELO BRANDAO JOSE

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARCELO BRANDAO JOSE
DATA: 29/03/2022
HORA: 14:00
LOCAL: Remotamente
TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS ESTOQUES DE CARBONO EM DIFERENTES MODELOS SUCESSIONAIS DA MATA ATLÂNTICA EM RESTAURAÇÃO NO ESTADO DE SERGIPE, BRASIL.
PALAVRAS-CHAVES: Biomassa, Valoração Ambiental, Pagamento de Serviços Ambientais.
PÁGINAS: 34
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Quantificar os estoques de carbono, bem como estabelecer valores monetários de referência para as abordagens de restauração é essencial para desenvolver políticas de recursos ambientais como as do Pagamento de Serviços Ambientais (PSA). O objetivo da pesquisa é quantificar e valorar os estoques de carbono em uma floresta restaurada na Mata Atlântica de Sergipe com modelos sucessionais ativo e passivo, para verificar qual apresenta melhor custo-benefício do carbono. A área de estudo, com um histórico de plantios de eucalipto, faz parte de um PRAD-Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas. Considerando os trechos com nove anos de idade em que foram empregados modelos sucessionais na restauração, passivo e ativo, sendo este último variando quanto ao desbaste ou não de eucaliptos entre as espécies nativas, serão avaliados os seguintes tratamentos: (i) ativo, com desbaste de eucaliptos; (ii) ativo, sem desbaste de eucaliptos, (iii) passivo e (iv) floresta secundária (testemunha). Serão instaladas 16 parcelas de 25x25 m (4 para cada tratamento) para levantamento fitosociológico dos indivíduos arbóreos, dos compartimentos aéreo, herbáceas, necromassa, raízes grossas e solo, que terão seus estoques de carbono estimados. No caso das árvores e raízes será utilizado o método não destrutivo, com uso de equações alométricas a partir de dados das parcelas maiores. A necromassa e as herbáceas serão objetos de coletas com moldura de 1m x 1m e o solo por meio do uso de trado e análises de laboratório. O conteúdo de carbono será extrapolado para hectare (em Mg ha-1), os estoques valorados (em US$ ha -1) com base no mercado e os custos de restauração calculados em US$ ha -1. O custo-benefício (em US$ ha -1) será estabelecido pela diferença entre as receitas geradas pela valoração dos estoques e os custos de restauração. Espera-se responder as sequintes questões: (i) os modelos ativos, por conta do plantio de árvores, tem maior estoque na biomassa aérea?; (ii) os modelos não diferem quando se consideram seus estoques totais de carbono? (iii) a área de referência supera todas as outras na estocagem do carbono? A hipótese levantada é a de que o modelo sucessional passivo, por apresentar um melhor custo-benefício do carbono entre os três, pode colaborar com políticas públicas de incentivo à recuperação de florestas nativas na Mata Atlântica de Sergipe.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1739891 - MILTON MARQUES FERNANDES
Interno - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Externo à Instituição - RENISSON NEPONUCENO DE ARAUJO FILHO

Notícia cadastrada em: 24/03/2022 10:26
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - dragao2.dragao2 v3.5.16 -r18156-ca4d4a6fac