A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: ANA ALICE SANTOS

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA ALICE SANTOS
DATA: 21/03/2022
HORA: 09:00
LOCAL: Google Meet
TÍTULO: OCORRÊNCIA E IMPACTOS DE MICROPLÁSTICOS NO LITORAL SERGIPANO: UMA ABORDAGEM SOCIOAMBIENTAL
PALAVRAS-CHAVES: plástico, poluição, resíduos marinhos, sustentabilidade, zona costeira
PÁGINAS: 73
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Os plásticos, quando são descartados no ambiente, passam por diversas transformações, as quais propiciam sua degradação, transformando-os em micro fragmentos, denominados de microplásticos (MPs), que podem variar entre 1 e 5 mm. Os MPs representam potenciais riscos físicos, químicos e biológicos aos organismos que com eles interagem, incluindo os seres humanos. Desta forma, se tornaram um contaminante emergente de interesse global, sendo estudados quanto aos seus potenciais riscos adversos, tanto de forma qualitativa quanto quantitativa, principalmente nas regiões costeiras, devido a sua fragilidade ambiental e aporte de serviços ecossistêmicos, além do quantitativo populacional, dentre outros elementos. Nesse panorama, a referida temática vem sendo discutida na Organização das Nações Unidas, inserindo-se nos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e expresso diretamente no ODS 14 (vida na água). O litoral sergipano apresenta constantes atividades antrópicas, que propiciam a presença de resíduos plásticos em suas praias. Nesse cenário, o presente estudo visa analisar a ocorrência e os impactos socioambientais que podem ser causados pela presença de microplásticos nas praias arenosas do litoral sergipano. Para tal, coletas em um mês seco e um mês chuvoso serão realizadas nas praias Pirambu e Lagoa Redonda (litoral norte), Atalaia e Aruana (litoral centro) e Abaís (litoral sul). O material coletado será analisado quantitativamente (MPs.kg-1) e qualitativamente, conforme sua cor e tipo: fibras, grânulos (pellets), filmes e fragmentos. Além disso, a percepção ambiental dos frequentadores das praias estudadas a respeito dos MPs será mensurada, por meio da aplicação de questionários estruturados. Uma abordagem socioambiental amplia a possibilidade de estratégias de gestão, desta forma, com os resultados gerados na presente pesquisa, espera-se compreender a distribuição de microplásticos e o estado de contaminação das praias, que pode refletir em possíveis impactos socioambientais na região, além de compreender a percepção dos banhistas acerca da problemática em suas várias dimensões. Tais resultados podem orientar esforços, ao menos locais, visando mitigar o problema da poluição, associada ao uso excessivo dos plásticos, especialmente os descartáveis.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1807439 - JAILTON DE JESUS COSTA
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Externo à Instituição - MARIANA VELLOSA CAPPARELLI
Externo à Instituição - JEAMYLLE NILIN GONCALVES

Notícia cadastrada em: 07/03/2022 14:58
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema2.ema2 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5