A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: RUANA MICHELA SANTOS CARDOSO

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RUANA MICHELA SANTOS CARDOSO
DATA: 23/02/2022
HORA: 14:30
LOCAL: Prodema
TÍTULO: VESTÍGIOS AMBIENTAIS DE EMBALAGENS DE AGROTÓXICOS: UMA ANÁLISE DA RELAÇÃO PESSOA-AMBIENTE NO CONTEXTO RURAL SOB A PERSPECTIVA DA TEORIA BIOECOLÓGICA.
PALAVRAS-CHAVES: Resíduo sólido perigoso (RSP). Comportamento ambiental. Psicologia Ambiental. Contextos ecológicos.
PÁGINAS: 137
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A geração de embalagens vazias de agrotóxicos, seguida do descarte inadequado, tornou-se uma grande preocupação nos últimos anos devido à expansão do uso de agrotóxicos na agricultura em conjunto com o desmonte das políticas socioambientais. As embalagens de agrotóxicos são consideradas perigosas e, ao serem descartadas de forma inadequada, e/ou reutilizadas, são capazes de resultar em severas externalidades negativas à saúde humana e ao ambiente. Neste estudo, a problemática do descarte das embalagens de agrotóxicos estáarticulada a partir da relação pessoa-ambiente com base na Teoria Bioecológica por apresentar uma análise sistêmica em torno das questões socioambientais. Agregado a essa teoria, foi utilizado o conceito de contextos ecológicos, sendo constituído pelo microssistema e pelo mesossistema. A presente pesquisa possui o seguinte questionamento: o descarte das embalagens de agrotóxicos na comunidade estudada oferece riscos socioambientais aos contextos ecológicos proximais? Tem-se como propósito investigar o comportamento de descarte das embalagens de agrotóxicos a partir dos vestígios encontrados, tratando esse como um problema socioeconômico-ambiental que afeta as áreas rurais. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo com abordagem quantitativa, com base na técnica de vestígios ambientais, que é centrada no ambiente e envolve a identificação de vestígios atrelados à ação humana no ambiente. A área rural pesquisada foi dividida em quatro quadrantes, tendo como características a prevalência de residências, o local de produção agrícola (com cultivo irrigado), a área remanescente de vegetação e a presença de corpo hídrico. Para coleta de dados, utilizou-se uma ficha de observação e registros fotográficos. A técnica de vestígios comportamentais é um método não-intrusivo, baseado na observação, por meio da qual foi possível identificar 18 tipos diferentes de embalagens de agrotóxicos, sendo 72,2% no Quadrante A, 22,2% no Quadrante B e 5,6% no Quadrante D, não ocorrendo no Quadrante C. As embalagens foram encontradas em diversos pontos dos microssistemas e mesossistemas (local de trabalho, residência e lanchonete), evidenciando que o comportamento de descarte afeta negativamente os contextos proximais, colocando-os em situação de vulnerabilidade socioambiental em função do grau toxicológico das embalagens encontradas e dos locais onde foram encontradas. Nota-se que o comportamento de descarte das embalagens da região estudada atrela-se a uma conduta antiambiental, pois tais embalagens contêm componentes tóxicos, logo, devido à sua periculosidade, precisam ser descartadas de forma correta. Pode-se ressaltar que a Teoria Bioecológica pode ser aplicada em diversos cenários, oferecendo uma compreensão sistêmica em torno das questões contextuais e comportamentais, dando subsídios para a elaboração de políticas públicas mais efetivas que promovam mudanças alinhadas com a sustentabilidade. A partir dos achados, espera-se que se possa colaborar em estudos futuros sobre a problemática com ênfase no comportamento habitual e que, a partir do modelo ecológico, seja capaz de subsidiar o desenvolvimento de uma tecnologia social voltada para o gerenciamento de RSP a fim de mitigar seus impactos no ambiente e na saúde da população local


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1545169 - ZENITH NARA COSTA DELABRIDA
Interno - 3185055 - GICÉLIA MENDES DA SILVA
Interno - 2583203 - ALBERICO NOGUEIRA DE QUEIROZ
Externo à Instituição - FLAVIO MANOEL RODRIGUES DA SILVA JÚNIOR
Externo à Instituição - ANA PAULA SOARES DA SILVA

Notícia cadastrada em: 10/02/2022 11:04
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e