A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ESTER MILENA DOS SANTOS

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ESTER MILENA DOS SANTOS
DATA: 30/08/2021
HORA: 15:00
LOCAL: PLATAFORMA GOOGLE MEET
TÍTULO: ANÁLISE DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS DO ESTUÁRIO DO RIO POXIM E PRESSUPOSTOS A SUA GESTÃO
PALAVRAS-CHAVES: Gestão Integrada de Recursos Hídricos. Gerenciamento Costeiro. Urbanização. Participação. Qualidade da Água.
PÁGINAS: 130
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

As zonas costeiras e estuarinas possuem uma alta densidade populacional com a ocupação urbana ameaça a qualidade de seus recursos naturais e seus diversos serviços ecossistêmicos. Elas são complexas por naturalmente possuírem fatores internos que favorecem alterações físico-químicas e biológicas em alta frequência, o que dificulta verificar alterações provindas de fontes externas. Além disso, no Brasil há uma ligeira indiligência associada a gestão e uma necessidade em estudos contínuos nessas zonas. Esse estudo objetiva contribuir no processo de gestão integrada de Bacias Hidrográficas e dos Sistemas Estuarinos e Zona Costeira, através da análise das condições ambientais do estuário do rio Poxim, que compartilha de problemas quanto a aportes de esgoto doméstico, a consolidação de espaços urbanos desordenados e uma gestão difusa e ausente. A hipótese de pesquisa é “a compreensão das condições ambientais possibilita realizar uma análise crítica do uso e ocupação de forma a contribui para formulação de propostas a sua gestão”. A construção da dissertação dá-se em formato de três artigos que abrangem os três objetivos específicos: Compreender o avanço urbano nas áreas que margeiam o estuário do rio Poxim, levando em consideração condições de poluição; Diagnosticar as condições ambientais encontradas nas áreas a margem do estuário com a percepção da população local; Avaliar qualidade da água, investigando algumas tendências espaciais e sazonais dado as metas de enquadramento. Como resultado foi verificado que as maiores variações de aumento urbano ocorreram no período entre 1990 e 2000 cerca de 23%, impulsionada pelo crescimento econômico da cidade. Já a maior redução de vegetação ocorreu entre 2010 e 2016, aproximadamente, uma perda de 37%, impulsionada pela pressão imobiliária. Entre 2016 e 2018 observou um adensamento do espaço urbano consolidado. Mais de 70% dos moradores dos bairros possuíam serviços de água, esgoto sanitário e resíduos sólidos oferecidos por órgãos públicos, cerca de 44% apontaram ter sido afetados por algum episódio de alagamento e 19% foram acometidos por doenças como Dengue ou Chikungunya. Entre 30% e 70% qualificam os serviços de saúde e saneamento básico oferecidos em seus bairros como Regular/Bom, mas consideram a atuação do Poder Público como Ruim/Péssima, além disso mais de 50% deles não se envolvem de espaços destinados a participação ativa. Quanto à qualidade das águas alterações no Oxigênio Dissolvido e Fósforo Total indicam poluição por esgotamento sanitário e para a época seca e os pontos do estuário central o ICE qualifica-se como ruim, afastando dos níveis desejados para as classes de enquadramento. Conclui-se que esses ambientes desafiam os gestores e pesquisadores, as difusas políticas possibilitaram a ocupação desse espaço por forças econômicos e imobiliários causaram diversos impactos, além disso, o processo pouco envolveu a população local que se sente pouco representada e ouvida e necessita de um contínuo monitoramento e de processo de gestão democrático, efetivo e integrador.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2579022 - GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
Interno - 1807439 - JAILTON DE JESUS COSTA
Externo ao Programa - 013.892.295-05 - SILVÂNIO SILVÉRIO LOPES DA COSTA

Notícia cadastrada em: 18/08/2021 14:40
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - fragata3.fragata3 v3.5.16 -r18160-36a7f68df5