A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente
Notícias

Banca de DEFESA: ELINE PRADO SANTOS FEITOSA

Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ELINE PRADO SANTOS FEITOSA
DATA: 25/06/2021
HORA: 08:00
LOCAL: Universidade Federal de Sergipe
TÍTULO: GESTÃO DE RESÍDUOS DOMICILIARES DURANTE A PANDEMIA DA COVID-19: UMA ANÁLISE PRELIMINAR SOB A PERSPECTIVA DA PSICOLOGIA AMBIENTAL
PALAVRAS-CHAVES: Pandemia da Covid-19; Barreiras Psicológicas; Gestão de Resíduos Domiciliares; Relação Pessoa-Ambiente.
PÁGINAS: 137
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A problemática dos resíduos sólidos urbanos (RSU) pode ser relacionada à dois aspectos principais: a migração, em massa, e de modo desordenado da população das zonas rurais para a região urbana; ao modelo capitalista baseado na produção de bens a partir da exploração dos recursos naturais de modo indiscriminado, consumo e descarte. O reconhecimento da gravidade dos problemas ambientais e de saúde pública relacionados à gestão dos RSU, emergiu a partir da década de 1970, quando houve uma mobilização mundial sobre a crise ambiental global e a finitude dos recursos naturais. Atualmente, a problemática da gestão dos RSU se manteve como um grande desafio do Século XXI a nível mundial e, principalmente nos países em desenvolvimento. Houve no Brasil, nos últimos dez anos, um aumento da geração dos RSU e ao mesmo tempo que o cumprimento das diretrizes da Política Nacional de Resíduos Sólidos por parte dos gestores públicos e demais atores sociais é um grande desafio. Diante do cenário da pandemia da Covid-19, os governos e autoridades de cada país traçaram estratégias que incluíam, principalmente, a restrição de circulação de pessoas, o que alterou a rotina, os padrões de compra, consumo e a gestão de RSU e resíduos domiciliares (RDO). Uma ação imediata para conter a transmissão da Covid-19 entre os profissionais que atuam no gerenciamento dos RSU, foi a suspensão do serviço de coleta seletiva em diversas cidades e estados brasileiros. Diante desse contexto, o presente estudo focou na problemática da gestão dos RDO a partir da perspectiva da Psicologia Ambiental, com ênfase na relação pessoa-ambiente, durante a pandemia da Covid-19, com o objetivo de abordar as possíveis alterações na gestão dos RDO a partir das alterações das rotinas ocasionadas pela pandemia da Covid-19. Com base no levantamento bibliográfico de dados e pesquisas sobre os impactos da geração e gestão de RDO durante a pandemia foi desenvolvido um questionário de aplicação online, composto por 42 itens com a finalidade de investigar se a alteração das rotinas familiares modificou o gerenciamento dos RDO durante o período pandêmico. Participaram da pesquisa 372 pessoas, com idade média de 35,5 anos, sendo sua maioria 75,8% (282) do estado de Sergipe. Os resultados evidenciaram que houve um aumento da geração de RDO, das compras do tipo delivery, da quantidade de refeições preparadas e realizadas em casa ao comparar os períodos antes e durante a pandemia. Foi identificada uma discrepância entre preocupação com os problemas ambientais, percepção de risco entre o descarte inadequado de resíduos associado ao surgimento de novas doenças, a baixa adesão de ações que visem a melhoria da gestão dos RDO e um baixo medo em ser infectado pela Covid-19 ao manipular os RDO. Acredita-se que os resultados deste estudo, analisados a partir das barreiras psicológicas, apresentem informações relevantes sobre a gestão RDO, devido à gravidade do contexto da pandemia da Covid-19, por se tratar de uma crise séria ambiental, que desencadeou uma série de problemas em saúde pública, econômica e social, com fortes impactos também na gestão dos RSU. Por fim, sugere-se que sejam realizados estudos mais aprofundados sobre geração de RDO que foquem na percepção ambiental, análise ecológica, influência dos aspectos psicológicos na relação pessoa-ambiente, com a finalidade de favorecer/provocar ações focadas no contexto, com a participação ativa dos atores sociais e respeitando as especificidades de cada localidade.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1545169 - ZENITH NARA COSTA DELABRIDA
Interno - 2579022 - GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
Interno - 3185055 - GICÉLIA MENDES DA SILVA
Externo à Instituição - SOLANGE ALFINITO

Notícia cadastrada em: 18/06/2021 09:50
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2022 - UFRN - ema3.ema3 v3.5.16 -r18154-6e174eae4e