Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DAIANY SANTOS SILVA

Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAIANY SANTOS SILVA
DATA: 23/02/2018
HORA: 10:00
LOCAL: PRODEMA
TÍTULO: As Oscilações da linha de costa nas parias de Aracaju/SE e sua relação com as atividades Antrópicas.
PALAVRAS-CHAVES: Praia; Georreferenciamento; Erosão/Progradação
PÁGINAS: 43
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

A zona costeira é caracterizada por sua dinâmica e complexidade dos elementos
que a compõem. No Brasil, a zona costeira é estabelecida como patrimônio nacional na
Constituição Federal. As paisagens litorâneas atraem e concentram um grande número
de pessoas no mundo inteiro. Hoje as praias urbanas, incluindo as brasileiras, são
espaços públicos de grande potencial para interação, através das diversas atividades
exercidas num pluralismo sociocultural. O município de Aracaju, capital do Estado de
Sergipe, localiza-se na região nordeste do Brasil, costa centro-leste e ocupa uma área de
181,8 km. Sua planície costeira possui ambientes frágeis, que têm sofrido muito com a
pressão imobiliária nos últimos anos. As praias podem ser genericamente definidas
como depósitos de matéria inconsolado, formados na interface entre a terra e o mar, sob
a ação de agentes como as ondas, as correntes, as marés e os ventos. A praia é a
primeira unidade geomorfológica da zona costeira a reagir a degradação ambiental e as
mudanças energética e\ou eustática. Cerca de 70% das praias arenosas do mundo estão
em processo predominante de erosão. Nesse contexto, em resposta ao ritmo acelerado
da urbanização na planície costeira aracajuana, as praias do município têm apresentado
riscos ambientais. Essas praias sofrem influência do estuário do Rio Sergipe que nas
últimas décadas apresentaram mudanças significativas, resultante da crescente
urbanização na cidade, a exemplo dos bairros de Atalaia e Coroa do Meio, situados na
margem direita da desembocadura do rio Sergipe, que são áreas de riscos devido a
elevada dinamicidade decorrentes da confluência dos agentes fluviais e marinhos.
Portanto, o objetivo dessa pesquisa é mapear as mudanças da linha de costa nas praias
de Aracaju/SE, entre os anos 2013 e 2018, identificar os setores onde ocorreram erosão
ou progradação e caracterizar as intervenções antrópicas ocorridas nesse intervalo de
tempo. O mapeamento será realizado com auxílio da tecnologia do GPS TRIMBLE R6,
usando a escarpa da praia como indicador da Linha Costa no campo. Esses
mapeamentos fornecerão dados com alta resolução e precisão da situação da Linha
Costa. A metodologia foi qualificada como do tipo quantitativo e qualitativo, por conter
informações sobre a disposição do meio físico e antrópico, e possuir caráter exploratório
que compreenda as causas e efeitos dessa relação nas praias. Essa abordagem tem como
princípio fundamental, uma visão integrada e interdisciplinar da problemática em
questão. Esse monitoramento contínuo da linha de costa é muito importante e fornecerá
dados que auxiliem as políticas públicas no planejamento do projeto urbanístico, que
minimizem os efeitos danosos da relação mal planejada da urbanização na planície
costeiras de Aracaju.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1141161 - DANIELA PINHEIRO BITENCURTI RUIZ ESPARZA
Externo à Instituição - MARCO TÚLIO MENDONÇA DINIZ
Interno - 279481 - ROSEMERI MELO E SOUZA
Notícia cadastrada em: 07/02/2018 10:49
SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS - - | Copyright © 2009-2020 - UFRN - fragata4.fragata4 v3.5.16 -r12712-85cc87cea5